Brasília, 22 de julho de 2021 às 03:03
Selecione o Idioma:

Brasil

Postado em 07/07/2021 8:43

Investiguem! Punam! Mas não o Mi(n)to e a faMilícia!

.

Reprodução

Por Luiz Fernando Leal Padulla*

Acho engraçado o argumento dos bolsonaristas e fascistas perante os acontecimentos que escancaram possíveis casos e cumplicidade do (des)governo com corrupção.

A mesma trupe que defendia abertura de investigação e punição aos ex-presidentes Lula e Dilma, mesmo sem qualquer prova, agora se revoltam com as investigações e avanço da CPI da Covid. De duas uma: ou são ignorantes e dotados de mau-caratismo (bem provável!), ou temem ver seu mi(n)to desmanchar dadas às provas que emergem do submundo miliciano – uma nova perda, pois o primeiro herói de barro foi justamente o juiz (sic) Sérgio Moro.

(No caso de mau-caratismo, avalio que o medo está justamente na perda da simbologia que Bolsonaro lhes representa: a figura que lhes permite manifestar seus lados misóginos, racistas, preconceituosos e igualmente fascistas. Seu representante voltando ao limbo – de onde nunca deveria ter saído – levaria novamente essa gentalha e seus pensamentos junto).

Quando Lula, por exemplo, alegou que havia sido traído pelo que supostamente ocorria em seus ministérios, foi trucidado porque seria dever do presidente saber. Quando Bolsonaro disse “não tenho como saber o que acontece nos ministérios”, tentando se esquivar das denúncias de propina para aquisição de vacinas da Covaxin, o que seus aliados/militantes ruminantes fizeram? Revoltaram-se contra esse “abuso” e abraçaram seu líder!

E antes que me acusem de defender um e culpabilizar outro, lembrem-se que, diferentemente das acusações contra Lula que não haviam provas – e por isso, depois de julgamento justo, foi absolvido em todos os 15 processos abertos contra o ex-presidente – contra o Genocida, elas vertem das entranhas, envolvendo não apenas sua base aliada diretamente, mas também seus próprios filhos milicianos.

Dilma caiu, é bom salientar, justamente porque não compactuava com indicações suspeitas e esquemas que poderiam facilitar corrupção em seu governo. Mas o lobby feito contra sua liderança feminina falou mais alto e foi vendida igualmente pela mídia patriarcal e hegemônica para uma sociedade alienada e misógina.

“Ah, mas Bolsonaro não roubou!”. Não importa se o ato foi consumado ou não. O crime é de prevaricação. Para que se entenda de forma lúdica – como sempre faço em sala de aula – segue esse exemplo: se sua esposa/marido marca um encontro com outra pessoa, mas você descobre antes do ato ser consumado, você deixa de ser corno(a)? Simples assim!

Não se esqueça também dos casos que ainda seguem inexplicados que envolvem Bolsonaro: desde as rachadinhas, cheque de 89 mil reais vindo de miliciano e usando sua esposa e, claro, o assassinato de Marielle Franco, com digitais, sangue e várias evidências do envolvimento da familícia – mas cujo avanço nas investigações seguem lentamente.

Crimes e mais crimes. Crimes reais, e não aqueles inventados como o filho de Lula ter uma Ferrari dourada, ser dono/sócio da JBS/Friboi ou ainda ter comprado uma ilha em Angra dos Reis, amplamente divulgado por redes sociais financiadas por inimigos políticos de Lula e da esquerda brasileira.

No entanto, quando se fala em quebrar sigilos e investigar a fundo os filhos, Bolsonaro – aquele que outrora dizia que ia acabar com a corrupção e todas as “mamatas” – relincha ainda mais alto para proteger seu clã. É como diz o ditado: quem não deve, não teme…por que temes, ó Messias?

Mas o buraco também é mais embaixo. Todas essas artimanhas golpistas foram patrocinadas pela direita nacional e internacional – como todes sabem. Tudo porque, através do voto, não conseguiram chegar à presidência, impossibilitando agradar os interesses do capital estrangeiro e seu neocolonialismo. A questão geopolítica é fundamental para que se entenda o contexto como um todo.

A ascensão da direita neoliberal teve interesse para enfraquecer o protagonismo que o Brasil e aliados progressistas estavam atingindo, principalmente com a figura do BRICS – contrapondo a soberania unipolar dos EUA/FMI/Banco Mundial – que permitiria a construção de uma economia multipolar. Paralelamente, o pré-sal despertou ainda mais interesse em interromper os avanços do Brasil e da América latina como um todo. Lembre-se que grande parte do dinheiro seria investido na Educação (o grande medo dos neocoloniais é justamente um povo educado e emancipado) e na Saúde.

Bolsonaro e sua corja foram plantados na sociedade para servir de marionete para esquemas e interesses dos EUA, contrariando suas falas defensoras da “pátria”. Bolsonaro é um corrupto, genocida e entreguista. Governa a favor de interesses imperialistas e neocoloniais – e isso explicaria a reunião recente com o diretor da CIA, agência de inteligência estadunidense que sempre está envolvida em golpes contra a democracia de países com visão anticolonialista.

Que venham novas provas dos crimes desse Genocida. E que mais do que evidências, a punição ocorra, tanto em nosso país, como no Tribunal Penal Internacional de Haia, afinal, Bolsonaro é um criminoso que ceifou a vida de milhares de pessoas com seu negacionismo e menosprezo à ciência.

*Professor, Biólogo, Doutor em Etologia, Mestre em Ciências, Especialista em Biecologia e Conservação.

Blog: https://biologosocialista.wordpress.com/

Instagram: @ProfPadulla

Comentários: