Brasília, 19 de janeiro de 2022 às 15:15
Selecione o Idioma:

Especiais

Postado em 17/05/2016 10:11

‘É tempo de pôr fim ao silêncio sobre a Crimeia’

.

 © Sputnik/ Vladimir Trefilov
Em 18 de maio ás 14h 30 o Conselho Regional de Veneza votará o reconhecimento da Crimeia como parte da Rússia e a abolição das sanções anti-russas, informa o jornal Izvestia.

Caso a iniciativa seja aprovada pelos deputados, o região de Vêneto poderá ser a primeira região europeia que reconhece a Crimeia como autonomia russa.O autor do projeto de resolução, o deputado Stefano Valdegamberi, falou à agência Sputnik sobre o impacto negativo das sanções contra a Rússia. Segundo ele não há motivos para que as sanções sejam prolongadas.

“A comunidade e muitos empresários me pedem para discutir a questão destas sanções absurdas… Pessoalmente sei de muitos exportadores que cooperavam com a Rússia e agora ficam em situação difícil. Para mim, não havia razões para que tais sanções fossem introduzidas. Eu mesmo visitei a Crimeia e vi o desejo de autodeterminação da Crimeia e ela tem direito a isso” comunicou ele.

Valdegamberi acredita que as ações da Europa são erradas e que o embargo introduzido em resposta por parte da Rússia influencia negativamente a economia europeia.É por isso que a resolução pode ganhar muitos votos no parlamento regional. Ela foi apoiada por todos os maiores partidos: a Liga do Norte, Lista Zaia, Forza Italia e outros.

“Na altura temos os votos de 25 deputados locais. Estou certo que vamos obter o apoio da oposição também. É por isso que tenho uma atitude positiva em relação a esta votação, porque a maioria da população de Vêneto apoia essa iniciativa”, disse ele, acrescentando que, caso o resultado da votação seja positivo, a iniciativa será enviada ao governo nacional.

Segundo ele, a resolução não vai ter só um significado simbólico. Os deputados planejam criar um Comité de Luta contra as Sanções e tencionam cooperação com a comunidade russa local para anular as sanções.A região de Vêneto perdeu cerca de 600 milhões de euros durante um ano por causa da queda nas exportações para a Rússia devido ao embargo, em produtos como o leite, queijo e frutas.

Leia mais: http://br.sputniknews.com/mundo/20160517/4632288/fim-silencio-Crimeia.html#ixzz48uzdmp7H

Comentários: