22.5 C
Brasília
terça-feira, 11 junho, 2024

Zelensky quer que Lula ‘una a América Latina’ pela Ucrânia, mas ‘sei que ele não vai me dar’ armas

© AP Photo / Efrem Lukatsky

Sputnik – O líder expressou a esperança de que o Brasil ajudasse Kiev a conduzir uma conversa com outros países da América Latina sobre a situação ucraniana.

Lula da Silva pode ajudar no processo de paz unindo os presidentes da América Latina para um encontro, disse na quarta-feira (27) Vladimir Zelensky.
Falando em uma entrevista à GloboNews, ele declarou que “sei que Lula e os brasileiros apoiam a soberania da Ucrânia e precisamos desse apoio”.
O presidente da Ucrânia pediu o suprimento de equipamentos especializados antiminas para que “os fazendeiros não tenham medo de morrer”.
“Não pretendo pedir a Lula que me dê armas. Por que faria isso? Sei que ele não vai me dar“, reconheceu ele. Zelensky propôs que o Brasil apoiasse o acordo de grãos para “lutar contra o fome” no mundo.
O líder ucraniano referiu que chamou Lula para visitar Kiev, mas o convite até agora foi negado. Ele também sugeriu visitar o Brasil se for convidado por seu respectivo mandatário.
“Se não nos encontramos, significa que há algo errado entre os nossos povos”, afirmou o ucraniano, sublinhando que nesse caso contaria com a ajuda de Lula da Silva para reunir outros países latino-americanos.
“Não entendo a razão de não nos reunirmos.”
Zelensky e Lula ainda não se reuniram pessoalmente durante o meio ano após a posse do último como presidente do Brasil, apesar de terem participado de vários eventos internacionais nesse período.
Recentemente, a União Europeia realizou eventos com países da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC) e do Mercosul. Vários dos Estados latino-americanos se recusaram a discutir a situação europeia com a participação de Zelensky.

O presidente da Ucrânia, Vladimir Zelensky, chega para fazer um discurso intitulado Não há paz sem justiça para a Ucrânia, em Haia, Holanda, 4 de maio de 2023 - Sputnik Brasil, 1920, 13.06.2023

Panorama internacional

Kiev coloca Brasil em posição delicada ao convidar para ‘Cúpula da Paz’ unilateral, diz analista

ÚLTIMAS NOTÍCIAS