Brasília, 22 de janeiro de 2022 às 06:01
Selecione o Idioma:

Peru

Postado em 04/04/2016 12:05

Peru: Verónika Mendoza, em ascensão na disputa presidencial

.

Por Max Altman/Opera Mundi

Em outubro de 2015, Opera Mundi publicou uma entrevista com Verónika Mendoza. Candidata apresentada pela Frente Ampla, bem articulada, com plataforma de governo de caráter democrático-popular, militante da esquerda, com 35 anos de idade, participava da corrida eleitoral com pouquíssimas chances. Naquela altura, mal alcançava 2% das intenções de voto.

Hoje, a uma semana das eleições presidenciais peruanas que terão lugar no próximo domingo, 10 de abril, a situação é completamente distinta.

O candidato presidencial de “Peruanos por el Kambio”, o ex-primeiro-ministro Pedro Pablo Kuczynski (PPK), de centro-direita, e Verónika Mendoza, da “Frente Amplio”, disputam o segundo lugar, de acordo com a mais recente pesquisa do jornal peruano El Comercio em parceria com o instituto Ipsos.

Segundo a pesquisa, PPK tem 16,8% das intenções de voto enquanto Verónika Mendoza alcança 15,5%, um empate técnico dentro da margem de erro.

Ocorre que em relação a pesquisa da semana passada, PPK cresceu em sua intenção de voto de 16 para 16,8 por cento, enquanto Veronika deu um salto de 12,1 a 15,5 por cento. Crescer 3,4 pontos percentuais no lapso de uma semana constitui uma verdadeira onda de crescimento.

Outras duas empresas de levantamento de opinião apontam números parecidos: segundo pesquisa da GFK, PPK aparece com 15,1% contra 15% de Verónika. De acordo com a Datum, o ex-primeiro-ministro aparece com 16% e a candidata da Frente Ampla com 14,8%.

A candidata da Força Popular, Keiko Fujimori, filha do ex-presidente Alberto Fujimori que está preso cumprindo pena, se mantém em primeiro lugar com 34,4% das intenções de voto.

Na quarta posição aparece o aspirante da Ação Popular, Alfredo Barnechea, com 8%. Em quinto lugar está o candidato da Aliança Popular, o ex-presidente Alan García, com 5,3%. O ex-presidente Alejandro Toledo aparece em oitavo lugar com apenas 0,9% das intenções.

A pesquisa aponta que 15,5% do eleitorado votariam nulo ou em branco.

Se a tendência se confirmar, a disputa no segundo turno se dará entre Verónika Mendoza e Keiko Fujimori. Será uma nova eleição e acenderá uma forte esperança para Verónika, uma vez que Keiko tem alta rejeição que ultrapassa os 40%.

Comentários: