24.5 C
Brasília
segunda-feira, 27 maio, 2024

Vergonha nacional: anúncio de Milei da base naval Argentina-EUA

A chefe do Comando Sul dos EUA, Laura Richardson, e o presidente argentino, Javier Milei, em Ushuaia, Terra do Fogo, 4 de abril de 2024

HispanTV – A Argentina, presidida por Javier Milei, fortalece a sua aliança estratégica com os Estados Unidos com uma base naval integrada, em meio a críticas da oposição.

O presidente argentino de extrema-direita, juntamente com a chefe do Comando Sul do Exército dos Estados Unidos, Laura Richardson, em Ushuaia, Terra do Fogo, confirmaram a sua vontade de fortalecer a aliança entre os dois países, em meio à “preocupação” de Washington com a situação da China. presença na região.

“O melhor recurso para defender a nossa soberania é fortalecer a nossa aliança estratégica com os Estados Unidos”, disse o presidente libertário num breve discurso ao lado dos militares norte-americanos.

Imediatamente, Milei anunciou a construção de uma base naval conjunta na região patagônica. “É um grande centro logístico que constituirá o porto de desenvolvimento mais próximo da Antártida e fará dos nossos países a porta de entrada para o continente branco”, explicou o presidente.

Na sexta-feira, o porta-voz da presidência argentina, Manuel Adorni, sem maiores detalhes, anunciou que o projeto binacional se tornará “um porto de desenvolvimento que será o mais próximo da Antártida”.

servilismo humilhante

Em reação ao anúncio, o ex-presidente da Argentina Alberto Fernández expressou duras críticas a Milei, acusando-o de expressar “servilismo humilhante” para com Richardson e sua comitiva.

“O presidente argentino, falando em ‘expansões territoriais’, disfarçado de soldado ao lado de uma autoridade do Exército dos Estados Unidos, nos enche de vergonha como nação. “Ele fez um discurso desnecessário que expressa a submissão argentina a uma nação estrangeira”, atacou Fernández no X na sexta-feira.

O ex-presidente também alertou que o líder libertário, ao dizer que “os argentinos têm afinidade com os Estados Unidos”, estaria provocando os países latino-americanos.

“Temo que o presidente da Argentina não tenha notado o fim da Guerra Fria ou a geopolítica que se observa hoje no mundo. Seu servilismo é humilhante. Acredito que ninguém lhe perguntou tanto, nem mesmo as autoridades dos Estados Unidos”, concluiu o ex-presidente em sua mensagem.

Da mesma forma, o senador nacional da Terra do Fogo, Pablo Blanco, repudiou a abordagem da Argentina aos Estados Unidos. “Enquanto os EUA não reconhecerem formalmente a nossa posição na disputa de soberania e, como membro da NATO, promoverem a desmilitarização britânica do Atlântico Sul, não será possível avançar numa aliança em questões de defesa e logística da Antártida”, ele escreveu em.

A presença do general norte-americano na Argentina trouxe à mente as declarações que deu em janeiro de 2023, quando garantiu que os Estados Unidos estão interessados ​​no petróleo, cobre e ouro dos países latino-americanos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS