21.5 C
Brasília
quarta-feira, 12 junho, 2024

Venezuela está comprometida com a paz na Colômbia, disse ministro das Relações Exteriores

Caracas, 4 set (Prensa Latina) O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Yván Gil, garantiu nesta segunda (04) que o governo de Nicolás Maduro está empenhado em fornecer todo o seu apoio à Colômbia até que a paz total seja alcançada.

No seu discurso de encerramento do quarto ciclo de conversações de paz entre o governo de Gustavo Petro e o Exército de Libertação Nacional (ELN), desenvolvido neste país, recordou as palavras de Maduro quando disse que a paz na Colômbia é urgente, não pode ser adiada e necessário.

Enfatizou que o governo venezuelano, como fiador, está totalmente comprometido e determinado a apoiar a Colômbia e suas forças políticas, conforme solicitado, para alcançar o projeto de paz total, promovido pelo Presidente Petro, que recebeu um grito do povo colombiano.

Disse que as conversações enfrentam diversas ameaças, obstáculos, dificuldades e desafios, como os de uma negociação entre duas partes em conflito, e em segundo lugar, de agentes externos, que procuram dificultar a paz devido a interesses estrangeiros.

Estamos satisfeitos por ter sediado em Caracas o quarto ciclo de negociações de paz entre o Governo da Colômbia e o ELN, que hoje culmina com grandes expectativas, após três semanas de conversações.

Reiterou à comunidade internacional a vontade do governo venezuelano no êxito deste processo.

Esta segunda-feira, as partes anunciaram os Acordos de Caracas, onde se destaca o Quadro Político e Conceitual para a realização de ações e dinâmicas humanitárias.

Este quadro estabelece os princípios e abordagens com os quais as partes esperam que o cessar-fogo cumpra o seu propósito humanitário, afirmaram numa declaração conjunta.

O segundo ponto contempla a declaração de áreas críticas para ações e dinâmicas humanitárias, incluindo Bajo Calima e San Juan, Bajo Cauca, nordeste de Antioquia e sul de Bolívar.

“Ali serão realizadas ações e dinâmicas humanitárias, garantias de cumprimento do cessar-fogo bilateral, nacional e temporário, participação das comunidades no processo de paz e projetos de desenvolvimento social, que serão acompanhados pelo Departamento Nacional de Planeamento”, detalharam.

A Diretoria estará atenta às iniciativas comunitárias para estudar a declaração de outras áreas críticas, assinalaram no texto.

O governo e o ELN também chegaram a um acordo parcial através do qual promoverão o desenvolvimento de mecanismos específicos para atender presos políticos e pessoas privadas de liberdade reconhecidas como membros desta força guerrilheira, confinados em prisões e centros de detenção do país. também ser consideradas áreas críticas.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS