Brasília, 4 de dezembro de 2021 às 10:14
Selecione o Idioma:

Sem Titulo

Postado em 15/12/2017 10:34

Venezuela e Mnoal manifestam apoio absoluto à causa Palestina

.

Caracas, AVN

O presidente da República, Nicolás Maduro, ratificou nesta quarta-feira que a Venezuela e os 120 países integrantes do Movimento dos Países Não Alinhados (Mnoal) manifestam sua solidariedade e apoio absoluto à causa da Palestina e rechaçam com veemência a mais recente ingerência do governo dos Estados Unidos e seu presidente Donald Trump, de reconhecer ilegalmente Jerusalém, capital da Palestina, como suposta capital do regime sionista (Israel).à

“A Venezuela traz a Estambul a voz da solidariedade e apoio absoluto à causa da Palestina e o rechaço à declaração do governo de Donald Trump sobre o tema de Jerusalém”, destacou o chefe de Estado venezuelano durante seu discurso na Cúpula Extraordinária da Organização para Cooperação Islâmica (OCI) onde se aborda a grave, unilateral e arbitrária decisão dos Estados Unidos (EUA) de transferir sua embaixada de Tel-Aviv a Jerusalém.

O presidente Maduro destacou a preocupação dos 120 Estados-membros do Mnoal pela nova arbitrariedade cometida pelo regime estadunidense contra o povo palestino e a cidade sagrada de Jerusalém, e disse que tal decisão extremista carece de validez jurídica, viola o direito internacional e deve ser retificada.

O mandatário afirmou que no contexto desta conjuntura que atenta contra a paz, os Estados- membros do Mnoal reafirmam seu apoio e solidariedade ao povo palestino e seu compromisso de contribuir para encontrar uma solução justa para o conflito, já que qualquer ação provocadora e unilateral em Jerusalém poderia desestabilizar seriamente a frágil situação na região, com consequências perigosas.

“O Mnoal reafirma seu histórico apoio e solidariedade à luta do povo palestino, contribuir a uma solução justa, duradoura e pacífica em todos seus aspectos, conforme o Direito Internacional, e continuar apoiando o heroico povo em seu afã por conseguir legítimas aspirações nacionais, incluindo seu direito à autodeterminação, à liberdade, e à independência em seu Estado com Jerusalém como sua capital”, destacou.

O presidente Maduro exortou o fim das violações e provocações do governo dos EUA e recordou os princípios consagrados na Carta das Nações Unidas, incluída a probição da aquisição de territórios pela força, assim como outras disposições aplicáveis ao Direito Internacional, particularmente a quarta Convenção de Genebra.

Maduro pediu que sejam respeitadas as resoluções 476 e 478 do ano de 1980 do Conselho de Seguraça que estabeleceram que todos atos e medidas de caráter legislativo e administrativo que tenha tomado Israel, a potência ocupante, não têm validez jurídica e devem ser anuladas imediatamente.

“Reiteramos a importância de impulsionar os esforços internacionais na busca de uma solução dialogada, pacífica, justa e duradoura para a questão Palestina”, disse.

“Em nome do Mnoal, parabenizo a Organização para Cooperação Islâmica, a Liga Árabe e nos comprometemos no marco do sistema das Nações Unidas a fazer todos os esforços de imediato para que este assunto seja tratado e imediatamente corregido”, afirmou.

Agradecimento à Venezuela

Os países-membros da Organização para a Cooperação Islâmica (OCI) manifestaram nesta quarta-feira seu profundo agradecimento à República Bolivariana da Venezuela e seu mandatário, Nicolás Maduro, por demonstrar toda sua solidariedade e apoio à causa da nação palestina.

Foi o que destacou o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, em nome dos estados-membros da OCI, durante a declaração final da Cúpula Extraordinária da OCI, onde se reiterou o apoio à causa Palestina e o rechaço unânime ao contínuo assédio contra a população de Gaza pelo regime sionista (Israel).

“O presidente Maduro expressa a voz da região latino-americana, porque não é somente uma causa dos muçulmanos mas do mundo inteiro”, enfatizou Erdogan.

Foto: @CancilleriaVE

Comentários: