24.5 C
Brasília
sábado, 22 junho, 2024

Uruguai, colapso da coalizão ou tudo contra a Frente Ampla

Montevidéu (Prensa Latina) A ministra da Habitação, Irene Moreira, terá que assinar nesta segunda(08) sua renúncia, exigida pelo presidente Luis Lacalle Pou, e seu partido, Cabildo Abierto (CA), decidirá neste dia se continuará na coalizão de governo do Uruguai.

Esses serão os momentos da polêmica que hoje coloca em xeque a aliança entre o Executivo e o Parlamento que governou o Uruguai na gestão do presidente Luis Lacalle Pou.

O presidente agiu em resposta ao que ele considerou uma prática criticável do ministro, que concedeu diretamente uma casa por meio de um programa institucional a um militante de sua organização política.

Isso supostamente revelou uma prática de política clientelista, à qual a mídia agora está acrescentando outras alegações.

Para o CA, a decisão do presidente é um ataque à organização política.

A verdade é que o Cabildo Abierto tem sido uma pedra no sapato da aliança governamental, com demandas e posições que até mesmo colocaram em dúvida a aprovação da reforma previdenciária, que finalmente se tornou lei.

Para isso, o Presidente Lacalle Pou fez concessões ao projeto de lei original e, em uma reação em cadeia, o enfraquecido Partido Colorado acrescentou ressonância ao acrescentar exigências que também foram adicionadas ao regulamento.

Não é segredo que o relacionamento entre o presidente e o senador Guido Manini, líder do CA, é difícil.

Os lobistas têm mais de 50 funcionários em cargos governamentais, inclusive ministros.

Além disso, o voto dos legisladores desse grupo político é necessário para que a coalizão que apoia Lacalle Pou tenha maioria para aprovar leis e sua prestação de contas.

O dia pode ser decisivo para a aliança governamental, que hoje carrega cicatrizes e feridas não cicatrizadas.

Mas talvez o lema de: todos contra a Frente Ampla, o líder de esquerda do Uruguai, talvez o vencedor líquido, por enquanto, dessas contradições no partido governista, mais uma vez dominará o dia.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS