13.5 C
Brasília
domingo, 16 junho, 2024

Unasul condena morte de político venezuelano em ato de campanha

A Unasul exige que as autoridades locais investiguem o crime e pede aos setores políticos para que seja mantido o clima de paz e estabilidade eleitoral (Divulgação / Unasul)
A Missão de Acompanhamento Eleitoral da Unasul instalada em Caracas para acompanhar o processo eleitoral venezuelano condenou, nesta quinta-feira (26), a morte do político opositor Luis Manuel Díaz, secretário-geral do partido Ação Democrática, durante um comício na quarta-feira (25).

Díaz foi atingido por um disparo proveniente de um carro não identificado em um ato de campanha que ocorria na cidade de Altagracia de Orituco, a cerca de 150 quilômetros de Caracas.

As eleições parlamentares acontecem no próximo dia 6 de dezembro e, dadas as tentativas de desestabilização recentes no país, a Unasul tem a missão de fiscalizar o processo eleitoral e assegurar a manutenção da democracia.

“A Missão Eleitoral da Unasul, instalada na República Bolivariana da Venezuela, ao tomar conhecimento da lamentável morte de Luis Manuel Díaz, secretário geral da Ação Democrática (AD) no estado de Guárico, expressa seu mais enérgico rechaço a todo tipo de violência que pode afeta o desenvolvimento normal do processo eleitoral”, afirma a nota oficial emitida pelo órgão.

Em comunicado no Twitter, a Unasul também demonstrou temor com a possibilidade de que a morte do político afete o “desenvolvimento normal do processo eleitoral” venezuelano e pediu uma “investigação exaustiva com a finalidade de evitar a impunidade”.

Para garantir a estabilidade do processo eleitoral, que se encerra no próximo domingo (6), quando os venezuelanos votarão para eleger os novos legisladores, a Unasul pediu aos setores políticos que contribuam com a consolidação de um clima de paz.

Do Portal Vermelho, com agências

ÚLTIMAS NOTÍCIAS