22.5 C
Brasília
terça-feira, 18 junho, 2024

Stoltenberg confirma morte de meio milhão de efetivos ucranianos, diz funcionário da RPD

© AFP 2023 / Ludovic Marin

Sputnik – O secretário-geral da OTAN falou com uma deputada irlandesa sobre o conflito ucraniano. O conselheiro do chefe interino da RPD citou a conversa como revelando um fato que Jens Stoltenberg sabe.

Ao ignorar a pergunta de um deputado europeu, Jens Stoltenberg, secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), confirmou de fato que a Ucrânia perdeu meio milhão de militares durante o conflito militar, disse Yan Gagin, conselheiro do chefe interino da RPD, à Sputnik.
Recentemente, em uma reunião do Parlamento Europeu, a deputada irlandesa Claire Daly se dirigiu a Stoltenberg, afirmando considerar falsas suas declarações de que a Ucrânia está gradualmente conquistando territóriosMeio milhão de pessoas morreram, e a Ucrânia está convocando até pessoas com deficiência durante a mobilização, disse ela.
Em resposta, Stoltenberg apontou que “ninguém jamais disse que seria fácil”, enfatizando que “estava claro desde o início que seria uma contraofensiva sangrenta e difícil”.
Soldados ucranianos da 103ª Brigada da Defesa Territorial das Forças Armadas em treinamento no oeste na Ucrânia, perto da cidade de Lvov, 29 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 08.09.2023

Operação militar especial russa

Política de Washington levará à morte de dezenas de milhares de ucranianos, diz especialista militar

“Em uma reunião do Parlamento Europeu, o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, confirmou com seu silêncio a morte de meio milhão de militares ucranianos durante o conflito militar na Ucrânia, que a própria OTAN desencadeou. Ao mesmo tempo, ele disse que ninguém prometeu que seria fácil e simples, que os russos construíram competentemente sua defesa“, declarou Gagin.
“Essa tranquilidade é como se alguém estivesse limpando o território da Ucrânia de sua população para algo ou alguém. Vamos esperar para ver”, continuou Gagin.
A contraofensiva ucraniana começou em 4 de junho. Kiev lançou brigadas treinadas pela OTAN e armadas com equipamentos ocidentais, incluindo os amplamente divulgados tanques Leopard, apesar de vários deles surgindo destruídos em imagens que passaram pelo Ocidente.

Três meses mais tarde, o presidente Vladimir Putin declarou que a “contraofensiva” não era somente um “retardo, é fracasso”Sergei Shoigu, ministro da Defesa da Rússia, também relatou que as Forças Armadas da Ucrânia não atingiram seus objetivos em nenhuma das direções.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS