22.5 C
Brasília
terça-feira, 18 junho, 2024

Situação na Europa lembra atmosfera no continente antes da 1ª Guerra Mundial, diz mídia

© AP Photo / Christophe Ena

Sputnik – A tentativa de assassinato do premiê eslovaco Robert Fico não levará a uma guerra mundial, mas lembra a conjuntura de uma era semelhante no passado, diz mídia norte-americana.

A situação atual na Europa tem semelhanças com as circunstâncias no continente antes da eclosão da Primeira Guerra Mundial, argumentou um artigo de sábado (1º) no jornal norte-americano Politico.
“Como nos últimos anos na Europa, a Bela Época [entre 1871 e 1914] viu o crescimento de facções políticas, movimentos violentos e pensamento nacionalista agressivo. Como uma era de desigualdade de renda excessiva e ultrajante, ela era comparável à atual, mascarando sérios distúrbios sociais e econômicos que, por sua vez, alimentaram um descontentamento generalizado”, escreve Jamie Dettmer.
O autor do artigo traçou uma analogia entre a recente tentativa de assassinato do primeiro-ministro eslovaco Robert Fico e o assassinato do arquiduque Franz Ferdinand em 1914. Para o jornalista, embora o mais recente episódio não leve a uma nova guerra mundial, deve ser um alerta.
Reunião entre o presidente russo, Vladimir Putin (à esquerda), e o primeiro-ministro eslovaco, Robert Fico, em 2 de junho de 2015 - Sputnik Brasil, 1920, 15.05.2024

Panorama internacional

Opiniões de Fico contra o Ocidente podem ter motivado atentado, diz parlamentar russo

Dettmer nota que, nos próximos anos, os historiadores poderão avaliar essa tentativa de assassinato como outro estágio intermediário no caminho para “o alarmante deslize da Europa para a extrema acrimônia e violência política“.
A tentativa de assassinato de Fico, que se opôs repetidamente ao fornecimento de armas à Ucrânia e à sua adesão à OTAN, ocorreu em 15 de maio, após uma reunião do governo. O agressor disparou cinco tiros e a polícia deteve o atirador no local. O Ministério do Interior informou que o agressor tinha motivação política e discordava das ações do gabinete do país, incluindo a oposição à interrupção do fornecimento de armas à Ucrânia.

Fico explicou que bloquearia a adesão ucraniana à OTAN porque isso significaria o início da Terceira Guerra Mundial. O primeiro-ministro eslovaco também se manifestou contra o envio de militares para a Ucrânia.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS