21.5 C
Brasília
quinta-feira, 23 maio, 2024

Shinzo Abe morre, vítima de um ataque no Japão

Tóquio (Prensa Latina) O ex-primeiro ministro japonês, Shinzo Abe, morreu nesta sexta (08) aos 67 anos de idade no hospital da Universidade Médica de Nara, vítima de um ataque, anunciou as autoridades locais.

Os especialistas encarregados de seu atendimento no hospital acreditam que a causa da morte é a perda de sangue, disseram em uma coletiva de imprensa.

Japón-Shinzo-Abe-atentado-2

Um relatório anterior da Agência de Gestão de Incêndios e Desastres do Ministério de Assuntos Internos e Comunicações declarou que o ex-presidente tinha um ferimento de bala e sangramento na região cervical direita, bem como sangramento interno no peito.

Os médicos disseram que a lesão era profunda o suficiente para alcançar seu coração.

Abe foi baleado nas horas da manhã enquanto fazia um discurso em apoio a seus candidatos do Partido Liberal Democrático perto da estação Yamato Saidaiji, antes das pesquisas eleitorais de domingo.

Testemunhas oculares ouviram dois tiros e viram fumaça branca antes que Abe caísse inconsciente no chão, relataram os repórteres locais.

Japón-Shinzo-Abe-atentado-3

O impacto da bala causou a parada cardiopulmonar e ele foi levado de helicóptero para o referido centro de saúde, onde morreu.

A polícia prendeu Tetsuya Yamagami, um ex-membro de 41 anos da Força de Autodefesa Marítima, por suspeita de tentativa de assassinato. Yamagami confessou ter matado Abe por insatisfação com sua liderança política, de acordo com relatos da imprensa nacional.

Um objeto tipo explosivo também foi encontrado na casa do atacante.

O falecido foi o primeiro-ministro mais antigo do Japão, tendo tomado posse duas vezes (2006-2007 e 2012-2020).

Japón-Shinzo-Abe-atentado-4

Nos últimos meses, a Abe promoveu várias propostas para aumentar a capacidade de defesa da nação asiática, incluindo a reforma da Constituição pacifista de 1946, o fortalecimento do papel das Forças de Autodefesa, a possibilidade de hospedar armas nucleares americanas como um dissuasor e a duplicação do orçamento militar.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS