24.5 C
Brasília
domingo, 19 maio, 2024

Sem gás russo, Alemanha enfrentará inflação recorde em 70 anos, diz mídia

© AFP 2022 / INA FASSBENDER

Sputnik  –   O chefe do Banco Central alemão, Joachim Nagel, alertou para a necessidade de elevar a taxa básica, já que o país enfrenta uma inflação de dois dígitos pela primeira vez em 70 anos, comunica a edição Financial Times.

“Dificuldades relacionadas com cadeias de suprimentos e a tensão geopolítica vão provavelmente persistir. Entretanto, a Rússia reduziu drasticamente o fornecimento de gás, enquanto os preços do gás natural e da eletricidade aumentaram mais do que era esperado”, afirmou o economista.

Segundo Nagel, o problema da alta inflação também vai preocupar a Alemanha em 2023. À medida que a crise energética se vai aprofundar, é provável que haja uma recessão no próximo inverno, previu o especialista.
O chanceler alemão, Olaf Scholz, participa de reunião semanal de gabinete em Berlim, Alemanha, 6 de julho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 20.08.2022

Panorama internacional

Economista polonês prevê fim do poderio econômico da Alemanha

A Europa está atualmente enfrentando problemas graves com o fornecimento do combustível, já que o principal gasoduto russo, o Nord Stream (Corrente do Norte), está operando a apenas a 20% da capacidade total. Além disso, em 19 de agosto a Gazprom, que é a fornecedora russa de gás, a maior no mundo, anunciou que o funcionamento do gasoduto pararia por três dias, de 31 de agosto a 2 de setembro, devido a trabalhos de manutenção programados na única unidade de bombeamento de gás em funcionamento.
As dificuldades com o fornecimento aos países da União Europeia surgiram devido à manutenção inadequada e atrasos no retorno do reparo das turbinas da empresa alemã Siemens que eram usadas na estação de compressão Portovaya para fornecer o combustível.
A Gazprom enfrentou obstáculos significativos ao tentar recuperar uma das turbinas do Canadá, que tinha imposto sanções contra a empresa russa. O governo canadense só autorizou o retorno do dispositivo em 10 de julho, não tomando em conta as disposições do contrato, e enviou a turbina à Alemanha, em vez da Rússia. Para a turbina ser enviada para mais longe, é preciso obter autorização das autoridades da União Europeia e do Reino Unido.
Chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, e o ministro da Economia do país, Robert Habeck, na cúpula em Berlim, 14 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 17.08.2022

Panorama internacional

Berlim: desenvolvimento da Alemanha baseou-se no gás russo barato, mas modelo falhou e não voltará

ÚLTIMAS NOTÍCIAS