Brasília, 7 de agosto de 2022 às 01:06
Selecione o Idioma:

Internacional

Postado em 30/07/2022 8:00

Se Ucrânia atacou centro de detenção em Elenovka, ‘eles não queriam fazer isso’, dizem EUA

.

© Sputnik / SPUTNIK
Sputnik – Mesmo que as forças ucranianas estejam por trás do ataque ao centro de detenção de Elenovka que abrigava prisioneiros de guerra ucranianos em Donbass, “eles não tinham intenção de o fazer”, disse na sexta-feira (29) um representante sênior do Departamento de Defesa dos EUA.
“Se isso foi o caso de um ataque ucraniano, eu vos asseguro que, primeiro – eles não queriam fazer isso. Eles certamente se preocupam com seu próprio pessoal, e eles se preocupam com os civis e militares de seu próprio Exército“, disse o representante dos EUA em uma coletiva de imprensa.
A autoridade americana disse que, embora o Exército russo tenha mostrado algumas peças de munição para sistemas de lançamento múltiplo de foguetes HIMARS fornecidos pelos EUA que, de acordo com Moscou, foram usados para bombardear a instalação de detenção, isso não significa necessariamente que a Ucrânia é a culpada, já que as forças russas têm algumas delas.
Mais cedo na sexta-feira (29), um correspondente da Sputnik informou que o centro de detenção de Elenovka, que abriga prisioneiros de guerra ucranianos, foi atingido pelas tropas ucranianas com HIMARS.
O correspondente relatou que alguns dos destroços continham números de série de projéteis HIMARS.
O secretário-geral da ONU, António Guterres, discursa durante a Assembleia Geral da organização, em Nova York, 23 de fevereiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 29.07.2022

Panorama internacional

ONU se diz preocupada após ataque com sistemas Himars a prisão militar em Donetsk

Os membros da Defesa Territorial da República Popular de Donetsk disseram na sexta-feira que o número de mortos na sequência do ataque ao centro de detenção em Elenovka foi de 53 pessoas e o número de feridos ultrapassou 130.
De acordo com a Defesa Territorial da RPD, “Kiev elimina deliberadamente os combatentes ucranianos que se renderam a fim de encobrir crimes de guerra perpetrados contra civis em Donbass e, assim, forçar os outros a continuar lutando em vez de se renderem”.

Comentários: