Brasília, 21 de janeiro de 2022 às 00:23
Selecione o Idioma:

Brasil

Postado em 25/06/2019 2:55

“Se Moro fosse parlamentar já estaria preso”, diz presidente do Senado

.

Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil
Davi Alcolumbre acredita que Moro ultrapassou o limite da ética que regula as relações entre um juiz e as partes do processo

Para o presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), se as conversas vazadas do ministro da Justiça, Sergio Moro, no caso da Lava Jato, fossem de um parlamentar, ele já estaria “preso ou cassado”. A frase foi dita em um evento realizado pelo site Poder 360, na noite desta segunda-feira 24, em Brasília.

O presidente do Senado acredita que Moro ultrapassou o limite da ética que regula as relações entre um juiz e as partes do processo. “Do ponto de vista ético, ultrapassou. Porque o juiz não pode conversar com o procurador. Se aquilo ali for tudo verdade, esse é o problema”, afirmou Alcolumbre.

O integrante do DEM fez a ressalva de que é preciso saber se as conversas divulgadas pelo site The Intercept Brasil são mesmos verdadeiras, mas afirmou que, ‘no caso de um parlamentar, isso nem seria levado em conta, porque o conteúdo é grave’.

“Aquela conversa não era para ter sido naquele nível entre o acusador e o julgador. (Se verdadeiras) são graves, muito graves. Se isso for verdade, se comprovar que é verdade, vai ter um impacto grande. Não em relação à operação (Lava Jato), ninguém contesta isso nunca, mas em relação a procedimentos”, disse.

O DEM, partido de Alcolumbre, é um apoio fundamental para Bolsonaro no Congresso, já que a Câmara dos Deputados e o Senado são comandadas por integrantes deste partido e também fazem parte do centrão, grupo mais forte do legislativo e peça fundamental para a aprovação da reforma da Previdência.

Comentários: