24.5 C
Brasília
sábado, 22 junho, 2024

Rússia denuncia aumento da presença militar dos EUA na Síria

HispanTV – Um diplomata russo sênior afirma que os EUA estão intensificando seu destacamento militar nas regiões ricas em energia da Síria, apesar da negação do governo de Damasco.

 “Washington usa o pretexto de combater o terrorismo para estar presente a leste do Eufrates em áreas economicamente importantes, onde abundam petróleo bruto e reservas naturais estratégicas”, disse na terça-feira o representante especial do presidente russo para a Ásia Ocidental e África, Mikhail Bogdanov. a rede de televisão saudita Al-Arabiya .

Apontando que o Pentágono está enviando tropas ilegalmente para a base de Al-Tanf —ocupada pelos Estados Unidos desde 2014, no sudeste da Síria—, o político criticou a prática como uma violação flagrante da soberania do país árabe e de sua integridade territorial.

Da mesma forma, ele atacou os EUA por seu apoio às chamadas Forças Democráticas Sírias (SDF), a milícia curda-árabe patrocinada pelos EUA na Síria.

Juntamente com seus aliados, os Estados Unidos iniciaram uma intervenção militar na Síria em 2014 sob o pretexto de combater o grupo terrorista Daesh, enquanto numerosos relatórios mostram o envolvimento de forças americanas no roubo e contrabando de petróleo bruto nas regiões petrolíferas do leste e nordeste .da Síria.

Os EUA estão avaliando uma resposta militar à atividade russa nos céus da Síria, depois de acusar o eixo Rússia-Irã-Síria de cooperar para expulsá-lo do país árabe.

O governo sírio denuncia a presença ilegal dos EUA em áreas ricas em petróleo e a considera uma violação absoluta de sua soberania, pelo que promete usar de todo o seu direito para responder à ocupação americana e recuperar em breve todos os seus territórios ocupados.

O retorno da Síria à Liga Árabe é um desenvolvimento “positivo”

Em outra parte de seus comentários, o titular russo chamou o retorno da Síria à Liga Árabe (AL) e a presença do presidente Bashar al-Assad na 32ª edição da cúpula anual da LA realizada em 19 de maio na cidade saudita de Jeddah como um “importante e positivo” evento.

A esse respeito, ele expressou sua esperança de que a reintegração da Síria no mundo árabe contribua para encontrar uma solução promissora para a crise síria e o retorno dos refugiados.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS