18.5 C
Brasília
quinta-feira, 30 maio, 2024

Putin em discurso no Dia da Vitória: rejeitamos reivindicações de exclusividade de qualquer Estado

© Sputnik / Mikhail Klimentiev

Sputnik – Neste 79º aniversário do Dia da Vitória, o presidente russo esteve em Moscou, na Praça Vermelha, para sublinhar o significado da derrota do nazismo na Segunda Guerra Mundial.

Vladimir Putin, presidente da Rússia, parabenizou nesta quinta-feira (9) os russos pelo Dia da Vitória.

“Caros veteranos, camaradas soldados e marinheiros, sargentos e suboficiais, aspirantes e subtenentes, camaradas oficiais, generais e almirantes, combatentes, comandantes, soldados do front [da Grande Guerra pela Pátria], heróis da operação militar especial, eu os parabenizo pelo Dia da Vitória”, disse Putin durante o desfile do Dia da Vitória na Praça Vermelha, em Moscou.

Ele disse que esse é o feriado mais importante, popular e sagrado, e anunciou um minuto de silêncio.
“Homenageamos nossos pais e avôs, bisavôs, que defenderam sua terra natal e esmagaram o nazismo, libertaram os povos da Europa, atingiram o auge da valentia militar e trabalhista”, acrescentou ele.
O Dia da Vitória une todas as gerações e, juntos, garantiremos um futuro livre e seguro para a Rússia, apontou também o presidente russo.
O alto responsável russo deixou claro que a Rússia “nunca minimizou a importância da Segunda Frente [Frente Ocidental] e a ajuda dos Aliados” durante a Segunda Guerra Mundial.
“Honramos a bravura de todos os soldados da coalizão anti-Hitler, dos combatentes da resistência, dos combatentes clandestinos, dos guerrilheiros.”
Ao mesmo tempo, referiu, “rejeitamos as reivindicações de exclusividade de qualquer Estado ou aliança, sabemos aonde leva a exorbitância de tais ambições.

“Hoje vemos como a verdade sobre a Segunda Guerra Mundial está sendo distorcida. Isso incomoda aqueles que estão acostumados a construir sua política essencialmente colonial com base em hipocrisia e mentiras. Eles demoliram os memoriais da verdade dos combatentes contra o nazismo, colocaram em pedestais os traidores e colaboradores de [Adolf] Hitler, riscaram a memória do heroísmo e da nobreza dos soldados libertadores, do grande sacrifício que fizeram em nome da vida”, continuou.

“Revanchismo, zombaria da história, o desejo de justificar os atuais seguidores dos nazistas – isso faz parte da política geral das elites ocidentais de fomentar cada vez mais conflitos regionais, hostilidade interétnica e inter-religiosa para conter os centros soberanos e independentes de desenvolvimento mundial“, afirmou Vladimir Putin.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS