15.5 C
Brasília
terça-feira, 11 junho, 2024

Presidente Tebboune insiste no desenvolvimento e na equidade entre todas as regiões do país: uma nova visão está a tomar conta

Foto: Prensa Latina

Por: Mohamed Mendaci

EL MOUDJAHID – Por ocasião do Encontro Nacional sobre perspectivas de investimento em culturas estratégicas e promoção de raças locais, organizado ontem em Naâma, o Ministro do Interior, Autarquias Locais e Planeamento Regional entregou uma mensagem de inovação e mudança, propondo uma nova visão para a Argélia baseada na equidade e no desenvolvimento sustentável.

Durante o seu discurso relatado pela APS, o Ministro do Interior e das Autarquias Locais, Brahim Merad, lembrou que este encontro nacional está colocado sob o alto patrocínio do Presidente da República e marca uma ruptura definitiva com os modelos de desenvolvimento anteriores. “O encontro simboliza um ponto de viragem em direção a políticas inclusivas que reconhecem e tiram partido das especificidades das diferentes regiões, particularmente daquelas frequentemente negligenciadas, como os Hauts-Plateaux e o Sul da Argélia”, observou.

O evento, organizado conjuntamente pelos Ministérios do Interior e da Agricultura, contou com a participação de vários membros do governo, altos funcionários públicos, investigadores e operadores económicos. Esta diversidade de presenças e esta escolha do local para o encontro são representativas da clara vontade de envolver ainda mais as vilas do interior e de rever a distribuição dos encontros nacionais, tradicionalmente centralizados.

Merad especificou que a política promovida pelo Presidente visa generalizar o desenvolvimento de forma equitativa entre todas as regiões, a fim de permitir que toda a Argélia contribua para o desafio socioeconómico nacional. Este princípio de reequilíbrio é acompanhado por uma maior atenção ao potencial ainda se explorado dos Hauts-Plateaux e do Sul, vistos como motores de um salto económico significativo. Salientou também que esta nova abordagem envolve decisões estratégicas de alcance substancial, como a criação de dez novas vilas no sul, a atribuição de recursos adequados para apoiar o seu crescimento económico e o ambicioso programa de zonas cinzentas, que visa reabilitar e desenvolver o sector público. infraestruturas, bem como outras infraestruturas essenciais.

Além disso, Merad destacou os programas complementares dirigidos a determinadas vilas, aos quais foram atribuídos projetos estruturantes de âmbito regional e nacional, destinados a aumentar a sua atratividade e colmatar lacunas de desenvolvimento existentes. O segundo eixo, atualmente em implementação, está ligado à requalificação económica das diferentes regiões e ao reforço do papel das autoridades locais no desenvolvimento e diversificação da economia nacional, para reforçar a atratividade da competitividade destas regiões e atrair produtivamente. investimentos, através do reforço do papel dos walis no acompanhamento e apoio à implementação das decisões tomadas pelas autoridades.

Rumo a um modelo de desenvolvimento equitativo

Esta visão de desenvolvimento evocada pelo ministro inscreve uma dinâmica de mudança profunda onde a equidade e a sustentabilidade deixam de ser conceitos vagos, mas se traduzem em ações concretas e estruturantes. Promete ser uma promessa de renovação para regiões até então marginalizadas e abre uma perspectiva para o futuro onde cada wilaya se tornará uma componente ativa do progresso argelino.

Merad transmitiu uma mensagem forte, transmitindo as ambições do Presidente da República de uma Argélia próspera e autónoma. O Encontro Nacional realizado nesta wilaya destacou a vontade presidencial de construir uma economia diversificada, afastada da precariedade da dependência dos hidrocarbonetos e impulsionada pela exploração criteriosa dos recursos intrínsecos de cada região. Reafirmou a importância crucial da sinergia entre todos os atores, sinalizando a convergência de esforços das autoridades a todos os níveis, investidores, profissionais de diversas áreas e especialistas universitários, para a concretização dos objetivos nacionais. Esta é uma abordagem holística, que visa integrar todos os componentes da sociedade na busca de um desenvolvimento harmonioso e sustentado.

Abordando os pilares do novo modelo econômico, enfatizou vários eixos estratégicos: estimular o investimento em áreas-chave como a agricultura, cujos benefícios imediatos seriam perceptíveis em termos de segurança alimentar, aumentar a produção agrícola local para produtos de consumo quotidiano, fortalecer a produção nacional de carne e produtos lácteos, e promover os setores agrícolas nas regiões do Saara e montanhosas, que têm um forte potencial para a economia nacional.

O ministro também revisou importantes reformas empreendidas para consolidar este modelo económico, incluindo uma reforma exaustiva da legislação relativa ao investimento, a reestruturação do quadro institucional para o investimento, a criação do Gabinete para o Desenvolvimento da Agricultura Industrial nas Terras do Sahara (ODAS) e a concessão de vantagens fiscais e parafiscais significativas, para incentivar o investimento nos Hauts-Plateaux e no Sul.

O impacto das iniciativas empreendidas reflete-se em resultados palpáveis ​​no sector agrícola, nomeadamente um aumento significativo nos volumes e rendimentos de produção, bem como nas quantidades recolhidas ao nível das cooperativas de cereais. “Este progresso”, explicou Merad, “é o resultado direto da supervisão diligente dos governadores sobre as principais fases da época agrícola, através do apoio próximo aos agricultores, de um aumento nas capacidades de armazenamento e de uma expansão dos perímetros agrícolas, apoiados por medidas bem-sucedidas. esforços direcionados para fortalecer os recursos hídricos.” Para coroar estas iniciativas, o Ministro do Interior recordou os esforços significativos envidados desde o início de 2023, para a realização do censo pecuário nacional, no âmbito de uma coordenação eficaz com o Ministério da Agricultura. Este sucesso permitiu obter pela primeira vez dados fiáveis, essenciais para futuras políticas agrícolas. Assegurou, no final, o compromisso inabalável do setor do Interior em contribuir para o desenvolvimento das capacidades locais, trabalhando para uma aceleração sem precedentes do desenvolvimento agrícola e, assim, abotoando a paisagem de uma Argélia resiliente e orientada para o futuro.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS