Brasília, 14 de junho de 2021 às 10:46
Selecione o Idioma:

Haiti

Postado em 19/05/2020 9:36

Presidente haitiano ataca ‘inimigos do povo’

.

Porto Príncipe, 18 de maio (Prensa Latina) O presidente haitiano Jovenel Moissé atacou os ‘inimigos do povo’ que estão se escondendo atrás da fome e da miséria para gerar instabilidade social, disse ele.

Durante uma aparição transmitida pela televisão local, no 217ú aniversário da criação da bandeira nacional, o presidente afirmou que os verdadeiros inimigos são aqueles que desestabilizam e enfraquecem o Estado, para servir seus interesses pessoais e os de pequenos grupos. .

‘Esses grupos de pessoas são muito cínicos. Eles frequentemente fingem ser os defensores do povo, enquanto saqueiam, subjugam e dividem’, disse Moïse do Palácio Nacional, em uma pequena cerimônia acompanhada por membros do governo.

Ele ressaltou que um setor se esforça para apoiar um sistema que leva o país como refém. ‘Eles fazem tudo o que sabem para controlar todas as estruturas, todas as instituições estatais para evitar pagar impostos, contrabando, cometer fraudes e sonegação’, denunciou.

Da mesma forma, ele listou os vários projetos que tentou realizar em seus mais de três anos de gestão, como eletrificação nacional, conexões terrestres, construção de barragens, e reiterou que somente através de eleições seus oponentes poderão assumir o poder.

O discurso do chefe de Estado ocorre quando setores da oposição denominados protestos antigovernamentais, exigem sua renúncia e o acusam de má administração e de suposto envolvimento no desvio de fundos públicos.

Várias plataformas pediram aos seus partidários que exigissem o fim do atual governo e anunciaram que Moisse deveria deixar seu cargo em fevereiro próximo, apesar de não completar o ciclo constitucional.

Desde o final de 2019, o país experimentou estabilidade precária, após intensos protestos que paralisaram a nação caribenha e forçaram o fechamento de escolas, fábricas, lojas e instituições estatais, enquanto milhões de cidadãos insatisfeitos despejavam nas ruas.

Comentários: