19.5 C
Brasília
sábado, 24 fevereiro, 2024

Povos árabes perdem amigo e líder com morte de Fidel Castro

Beirute, 26 nov (Prensa Latina) A morte do líder histórico da Revolução cubana, Fidel Castro, é uma perda para o movimento revolucionário e anti-imperialista a nível mundial, mas especialmente para os povos árabes, afirmou hoje um dirigente comunista libanês.
‘Nós, como libaneses e árabes, sentimos que é uma perda nossa também porque a história de Cuba encabeçada por Fidel Castro sempre tomou posições ao lado da luta de nosso povo’, declarou a Prensa Latina Maurice Nohra, veterano dirigente do Partido Comunista do Líbano (PCL).

Perguntado pelo legado que deixou o ex-presidente cubano, falecido a noite da sexta-feira em Havana, agregou que ‘sempre mostrou amizade incondicional e esteve ao lado de nosso povo, da causa libanesa e árabe, em geral, e a palestina, em particular’ contra Israel.

‘Realmente Fidel é o último líder histórico a nível internacional’, valorizou Nohra, que respondeu a esta agência desde sua casa, antes de ir à embaixada de Cuba em Beirute junto com o secretário geral do PCL, Hanna Gharib, para mostrar suas condolências.

Recalcó que ‘as posições, ideias e princípios solidários do Comandante em Chefe com os povos em geral nos brindam confiança de que Cuba, com o camarada Raul (Castro), com o Partido Comunista, vai seguir sempre no mesmo caminho do grande líder Fidel’. O fundador da Revolução cubana em 1959 morreu ontem à noite à idade de 90 anos e seus restos serão cremados neste sábado na ilha, segundo anunciou em uma comparência televisiva o presidente Raul Castro.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS