27.5 C
Brasília
terça-feira, 16 abril, 2024

Perdas de empresas estrangeiras com saída da Rússia chegam a US$ 107 bilhões, diz agência britânica

Sputnik – O êxodo corporativo da Rússia desde o começo da operação russa na Ucrânia custou às empresas estrangeiras mais de US$ 107 bilhões (R$ 534 bilhões) em baixas contáveis e perda de receitas, mostrou uma análise da Reuters de registros e declarações de empresas.

De acordo com a mídia, o volume de perdas aumentou um terço desde a última contagem, em agosto do ano passado, sublinhando a escala do impacto financeiro para o mundo empresarial, bem como destacando a súbita perda de conhecimentos ocidentais da economia russa.

“À medida que a invasão da Rússia continua em meio à vacilante ajuda militar ocidental, e a granularidade dos regimes de sanções ocidentais aumenta, as empresas que ainda pretendem sair da Rússia provavelmente enfrentarão mais dificuldades e terão que aceitar maiores depreciações e perdas”, disse Ian Massey, chefe de Inteligência Corporativa, EMEA, na consultoria de risco global S-RM, ouvido pela agência.

Moscou exige descontos de pelo menos 50% nas vendas de ativos estrangeiros e tem reforçado continuamente os requisitos de saída, aceitando frequentemente taxas nominais de apenas um rublo.
Dólar e rublo - Sputnik Brasil, 1920, 13.03.2024

Panorama internacional

Entregar ativos russos congelados à Ucrânia ‘quebraria sistema financeiro global’, alerta jornalista

Até agora, neste ano, as vendas de ativos de propriedade da Shell, HSBC, Polimetal Internacional e Yandex, foram anunciados, totalizando quase US$ 10 bilhões (R$ 49,9 bilhões) e com descontos de até 90%.
Na semana passada, a Danone disse que recebeu aprovações regulatórias para alienar seus ativos russos, assumindo uma perda total de US$ 1,3 bilhão (R$ 6,49 bilhões). Cerca de 1.000 empresas saíram.
Mas centenas de empresas, incluindo o retalhista francês Auchan e a Benetton, ainda estão operando ou suspenderam os seus negócios, de acordo com uma análise da Yale School of Management.
As nações ocidentais congelaram cerca de US$ 300 bilhões (R$ 1,4 trilhão) das reservas de ouro e divisas do Banco da Rússia após a operação. A Alemanha nacionalizou a Gazprom Germania, passando a chamá-la de Sefe, e colocou a da refinaria Schwedt sob tutela alemã.
Apresentação de notas atualizadas do Banco da Rússia em denominações de 1.000 e 5.000 rublos - Sputnik Brasil, 1920, 22.03.2024

Panorama internacional

Bancos ocidentais alertam sobre riscos no plano da UE para usar ativos russos, diz mídia

A Rússia prometeu retaliar contra as propostas da União Europeia para redistribuir milhares de milhões de euros em juros ganhos sobre os seus ativos congelados, alertando para consequências catastróficas e dizendo que qualquer tentativa de tomar o seu capital ou juros é “banditismo”.

Moscou calculou que o Ocidente poderia perder ativos e investimentos no valor de pelo menos US$ 288 bilhões (R$ 1,4 bilhão) se o governo russo retaliar as medidas.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS