Brasília, 12 de agosto de 2022 às 11:20
Selecione o Idioma:

Equador

Postado em 26/06/2022 6:38

Para onde vai o protesto indígena do Equador contra Lasso?

.

Os protestos indígenas, no marco da greve nacional no Equador, farão com que o governo Lasso termine antes do final de seu mandato, segundo os leitores da HispanTV.

Esta semana, os usuários do site da rede HispanTV deram sua opinião sobre as repercussões que terão as mobilizações, iniciadas por comunidades indígenas e às quais vários grupos se juntaram para rejeitar as medidas econômicas do governo do presidente Guillermo Lasso que provocou um aumento exorbitante dos preços.

Ministro da Defesa alerta: democracia do Equador está em risco
A opção mais votada, 38,02% dos que participaram da pesquisa, consideram que as manifestações equatorianas provocarão o fim do governo Lasso antes do término oficial de seu mandato.

Iza dá ultimato a Lasso: o próximo passo é sua demissão
Por sua vez, 32,0% dos entrevistados antecipam que o presidente equatoriano reverterá suas políticas neoliberais que levaram à atual crise no país.

Enquanto isso, 2,08% asseguram que haverá uma maior radicalização da repressão contra os protestos sociais de policiais no Equador.

Gobierno de Ecuador amenaza con usar mano dura contra manifestantes | HISPANTVGoverno do Equador ameaça usar mão pesada contra manifestantes | HISPANTV

O ministro do Interior equatoriano, Patricio Carrillo, anunciou que aumentará o nível de repressão policial durante os protestos contra o governo Lasso.

A mobilização indígena convocada pela Confederação de Nacionalidades Indígenas do Equador (Conaie) está mantida por tempo indeterminado desde 13 de junho, aguardando que o governo aceite um pedido de garantias feito por organizações sociais para sentar à mesa de diálogo.

Entre as causas da greve estão as reivindicações dos cidadãos pelo alto custo de vida, cortes orçamentários em educação e saúde, insegurança, mineração ilegal e desemprego, entre outras questões.

Além disso, os protestos exigem a renúncia de Lasso. O ex-banqueiro de direita enfrenta agora um novo desafio no Parlamento onde será realizada uma reunião plenária neste sábado para debater a destituição do presidente devido à grave crise interna.

‘Lasso exerce ditadura ao negligenciar demandas de equatorianos’
A resposta do presidente de direita tem sido militarizar o país e reprimir violentamente as manifestações que já registraram pelo menos cinco mortos e cerca de 200 feridos entre manifestantes e forças de segurança, além de pelo menos 100 casos de prisões, segundo informações organizações de direitos.

O original em espanhol encontra-se em:

https://www.hispantv.com/noticias/ecuador/546178/sondeo-protesta-indigena-lasso

Comentários: