24.5 C
Brasília
sábado, 22 junho, 2024

Papa chegará ao México em meio a sérias denúncias de pedofilia na Igreja

 Adital

O Papa Francisco chega ao México nesta sexta-feira, 12 de fevereiro, enquanto o país atravessa uma grave crise de direitos humanos. Desaparecimentos forçados, torturas e uma série de denúncias de pedofilia na Igreja marcam um contexto de impunidade. Às vésperas da chegada de Francisco, organizações de direitos humanos demandam que o Papa use de sua influência para pressionar o governo do presidente Enrique Peña Nieto a promover justiça. Também pedem ao Sumo Pontífice que se reúna com as vítimas da violência no país.

divulgacao
Organizações pedem ao Papa uma postura firme diante da impunidade dos casos de pedofilia na Igreja.

Referente aos casos de pedofilia, organizações da sociedade civil mexicana já apresentaram ao Comitê dos Direitos da Criança da Organização das Nações Unidas (ONU) um documento no qual explicitam o contexto global sobre a pedofilia clerical no México. A conclusão é de que os comportamentos pedófilos não foram isolados, mas constituíram crimes de Estado, que lesam a humanidade e que foram tolerados, protegidos e encobertos pela estrutura da Santa Sé. Uma das declarações mais importantes de Francisco em seu papado foi que não deixaria mais impunes os casos de pedofilia cometidos por sacerdotes da Igreja em todo o mundo

O país apresenta casos emblemáticos de padres, como Marcial Maciel, fundador da congregação religiosa “Legionários de Cristo”,que teria abusado de pelo menos 35 crianças. Além de Nicolás Aguilar (suspeito de abusarde 120 crianças), Carlos López (suposto envolvimento no abuso de 90 crianças), Eduardo Córdoba Bautista (envolvido em cerca de 100 casos) e Gerardo Silvestre Hernández (suspeito de abusar de 45 crianças).

Vários padres também são apontados como encobridores dos crimes de pedofilia – como o cardeal Norberto Rivera Carrera, arcebispo da Cidade do México; Jesús Carlos Cabrero Romero, arcebispo de San Luis Potosí; José Luis Chávez Botello, arcebispo de Oaxaca; Jonás Guerrero, bispo de Culiacán; Marcelino Hernández, bispo de Colima; e Raúl Vera, bispo de Saltillo.

Ante a impunidade que tem rodeado os casos de pedofilia na Igreja mexicana, especialistas recomendam que as denúncias sejam realizadas simultaneamente nas instâncias eclesial e civil. Lembram que denunciar é um dever ético, que dignifica a vítima e conscientiza outras vítimas potenciais, possivelmente afetadas no futuro.

Crise de Direitos Humanos

Além dos crimes de pedofilia na Igreja, o México tem se destacado no cenário internacional pela violência gerada com a guerra ao tráfico, pelo uso generalizado da tortura e pelos milhares de desaparecimentos forçados.

Para Erika Guevara-Rosas, diretora do programa da Anistia Internacional para as Américas, quando puser os pés na Cidade do México, o Papa Francisco se encontrará diante da “crise de direitos humanos mais alarmantes da América”. A entidade acredita que somente a partir de medidas concretas para punir os criminosos é que o governo começará a abordar tal crise.

observatorioeclesial
Em carta ao Papa, organizações denunciam a omissão do governo diante da grave crise de direitos humanos no país.

Em carta aberta, entregue ao Papa em dezembro de 2015 e publicada neste mês de fevereiro, mais de 200 organizações informam ao Pontífice sobre a realidade do país, a omissão do Estado, solicitando dele uma “palavra firme”. “Neste cenário, o o Estado não somente é cúmplice, como também criminoso, não somente irremediavelmente corrompido, também se converteu no principal detrator dos direitos humanos no país, legalizando a injustiça, a repressão”, afirma o documento.

Mensagem do Papa

Em vídeo mensagem, o Sumo Pontífice afirma sentir alegria em poder visitar esta “bendita terra” e fala sobre o objetivo de sua viagem. “É possível que vocês se perguntem: O que pretende o Papa com esta viagem? A resposta é imediata e simples: Desejo ir como missionário da misericórdia e da paz; encontrar-me com vocês para confessarmos juntos nossa fé em Deus e compartilhar uma verdade fundamental em nossas vidas: que Deus nos quer muito, que nos ama com amor infinito, muito além de nossos méritos”.

O Papa Francisco visita o México de 12 a 17 de fevereiro. Na programação, Francisco passará pela Cidade do México, Ecatepec, Tuxtla Gutiérrez, San Cristóbal de Las Casas, Morelia, Ciudad Juárez, e rezará diante da Virgem de Guadalupe.

Confira a agenda do Papa no México.

Leia também

Em visita ao México, Papa diz que não chegará ‘carregado de soluções para os problemas’

Mecanismo institucional de proteção da pedofilia clerical no México perpetua impunidade

Organizações pedem pena máxima para padre acusado de pedofilia no México

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS