21.5 C
Brasília
quinta-feira, 23 maio, 2024

Palestinos processam Israel no TPI por crimes de guerra

As ruínas da casa da família Salhiya, destruída por Israel no bairro Sheikh Jarrah em Al-Quds, 19 de janeiro de 2022. (Foto: AFP)

Hispantv – O Centro Internacional de Justiça para Palestinos (ICJP) move uma ação por crimes de guerra contra Israel perante o Tribunal Penal Internacional (TPI).

A queixa apresentada na quarta-feira gira em torno da “política prolongada e contínua” do regime israelense de privar ilegalmente civis palestinos de suas propriedades, tanto para a construção de seus assentamentos ilegais quanto para uso em “circunstâncias não justificadas por necessidade militar”. (MEE) portal.

Israel expulsa 1.300 palestinos para construir acampamento militar
A queixa pede ao promotor do TPI que inclua os casos de confisco de propriedade palestina que ele apresentou e pretende arquivar como parte da investigação formal que foi aberta em 3 de março de 2021 sobre “crimes de guerra”. Cisjordânia, incluindo Al-Quds (Jerusalém) ocupada e a Faixa de Gaza.

“As evidências disponíveis para apoiar as alegações de crimes relacionados à propriedade perpetrados pelas autoridades israelenses são amplas, críveis e claras. O fato de que isso tenha continuado como uma política aceita para a expansão ilegal de Israel é incompreensível”, disse Tayab Ali, diretor da CIJP.

A denúncia critica “a prática sistemática e de longa data de Israel de confiscar ou ocupar o território palestino, que aumenta gradualmente com o tempo”.

Mahmud Abás desde Alemania: Israel ha cometido “50 holocaustos” | HISPANTVMahmoud Abbas da Alemanha: Israel cometeu “50 holocaustos” | HISPANTV

O presidente palestino Mahmoud Abbas denunciou que o regime israelense perpetrou “50 holocaustos” contra o povo palestino desde sua fundação.
Eles criticam a Europa e os EUA por seu apoio a Israel
“O silêncio e o apoio dos países da União Europeia, assim como do Reino Unido e dos Estados Unidos, equivalem a cumplicidade nestes crimes”, acrescentou.

Apesar das advertências de organizações internacionais, Israel continua a expandir assentamentos ilegais confiscando terras e demolindo casas e estruturas palestinas.

Um novo relatório, divulgado em junho pelo Centro de Pesquisa de Terras Palestina (LRC), revelou que, em 2021, as autoridades israelenses confiscaram mais de 25.000 dunams de terras de propriedade de palestinos e arrancaram 17.755 árvores na Cisjordânia ocupada.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU) condenou as atividades de assentamento de Israel em várias resoluções, alertando que a construção de assentamentos em áreas ocupadas é “ilegal” sob a lei internacional.

Voz não ouvida: a política de demolições da ONU Israelita Feia

As autoridades palestinas exigem que o regime de Tel Aviv seja julgado por seus crimes de guerra ou crimes contra a humanidade, bem como pela expulsão da população palestina dos territórios ocupados, a apropriação ilegal de suas terras, a demolição de suas casas e a prisões.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS