29.5 C
Brasília
sexta-feira, 1 março, 2024

Os EUA dizem que as armas soviéticas do Equador irão para a Ucrânia

Soldados equatorianos em desfile carregando armas russas.

HispanTV – Washington está testando se o Equador de Daniel Noboa é um aliado fiel, com a entrega de armas russas em sua posse, o FMI lhe concederia um empréstimo para “sair da crise”.

A estratégia consiste em promover as vantagens que a entrega de equipamentos militares da era soviética traria ao país andino, em troca de armas americanas de nova geração avaliadas em cerca de 200 milhões de dólares. As armas russas, segundo o vice-secretário adjunto do Escritório de Assuntos do Hemisfério Ocidental dos EUA, Kevin Sullivan, irão para a Ucrânia.

“O equipamento militar russo que o Equador anunciou que entregaria aos Estados Unidos em troca de equipamentos mais modernos poderia ser enviado para a Ucrânia”, disse Sullivan quinta-feira em entrevista ao canal Teleamazonas. “É um acordo para transferir equipamentos para o Governo da Ucrânia”, confessou.

No entanto, alegou que o presidente equatoriano ainda contempla a medida. “São decisões do Governo do Equador e ainda estão sendo consideradas”, disse Sullivan.

A Rússia decide suspender as suas importações de bananas e flores do Equador após a decisão de Quito de entregar armas russas aos EUA para uso na Ucrânia.

WhisperGate: É um plano que está em andamento há um ano

Há indícios de que o envio de armas do Equador para a Ucrânia já era discutido há pelo menos um ano, segundo o vazamento de documentos de inteligência conhecido como WhisperGate ocorrido em 2023 no Departamento de Defesa dos Estados Unidos.

Durante o governo de Guillermo Lasso, tanto Quito como Kiev negaram negociações sobre a transferência dos helicópteros Mi-17-1B e Mi-171Sh adquiridos pelo Equador para a Rússia no início da década de 2010.

No início de janeiro, Noboa disse aos organismos multilaterais que precisa de fornecer soluções rápidas “para ser reeleito” em 2025, concentrando-se especialmente em organismos multilaterais como o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Banco Mundial e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) a conceder ao seu país “um empréstimo-ponte” para evitar um possível incumprimento em 2026.                   

Diante desta situação, na última quarta-feira, a Rússia levantou a voz e expressou ao Equador a sua posição em relação à transferência de material militar para os Estados Unidos. “No caso de transferência de propriedade militar para terceiros, o Equador violará as suas obrigações internacionais, e isso pode ter consequências negativas para a nossa futura interação bilateral”, alertou a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zajárova.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS