29.5 C
Brasília
sexta-feira, 1 março, 2024

Organização civil dos EUA denuncia cumplicidade de Biden no genocídio israelense em Gaza

Manifestantes em Los Angeles (EUA), denunciam o apoio de Biden à guerra genocida de Israel em Gaza, 8 de dezembro de 2023. (Foto: Getty Images)

HispanTV – A maior organização civil dos EUA para a defesa dos direitos muçulmanos critica Biden por ter dado luz verde a Israel para cometer genocídio em Gaza.

O Conselho de Relações Americano-Islâmicas (CAIR) denunciou na sexta-feira a hipocrisia do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, face aos acontecimentos vividos na Faixa de Gaza, depois de o presidente ter considerado “excessiva” a campanha de agressão de Israel contra o enclave costeiro que deixou quase 28 mil mortos em quatro meses.

A maior organização civil muçulmana dos Estados Unidos afirmou que, embora o presidente democrata tenha criticado na quinta-feira a campanha “excessiva” de bombardeamentos israelitas em Gaza, não tomou quaisquer medidas concretas para pôr fim à violência.

“Embora a retórica da Administração Biden sobre Gaza tenha suavizado gradualmente nos últimos dias, as suas ações não mudaram. A Administração Biden não é uma espectadora indefesa do genocídio de Gaza. Ele está permitindo a violência e o presidente poderia impedi-la com um telefonema, se quisesse ” , disse Edward Ahmed Mitchell, vice-diretor executivo do CAIR.

Os americanos, furiosos com o apoio da administração do presidente Joe Biden à guerra israelita em Gaza, queimam a bandeira do seu país em Nova Iorque.

Mitchell argumentou que dizer que a campanha de agressão de Israel em Gaza é excessiva é “um eufemismo” e enfatizou que as ações do regime sionista constituem “uma campanha brutal de genocídio”. “A Administração Biden deve acabar com o seu apoio” e responsabilizar Israel “pelas suas ações genocidas ”, sustentou.

Ultimamente, têm sido levantadas críticas contra a Administração Biden pelo seu apoio militar e político incondicional a Israel , o seu principal aliado na Ásia Ocidental. Muitos acusam o presidente e o seu ambiente político de cumplicidade no genocídio em Gaza.

Além de garantir um fornecimento permanente de material de guerra a Israel, Washington vetou várias resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU) que apelavam a um cessar-fogo na Faixa.

Os relatórios indicam que as comunidades muçulmanas em muitos estados dos EUA não apoiarão a reeleição de Biden nas eleições de 2024 devido ao forte apoio da sua administração a Israel na guerra na Faixa.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS