25.5 C
Brasília
domingo, 26 maio, 2024

ONU ‘chocada’: Israel matou 78 crianças palestinas em 2021

Um menino palestino caminha pelas ruínas de sua casa em Gaza depois que ela foi destruída por um ataque aéreo israelense, em 14 de maio de 2021. (Foto: NYT)

Hispantv – A ONU declara seu choque com o número de crianças palestinas mortas pelas forças israelenses e alerta o regime de Tel Aviv para ser incluído em sua lista negra.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Antonio Guterres, anunciou no relatório anual da organização sobre “crianças e conflitos armados”, publicado nesta segunda-feira, que tropas israelenses mataram 78 crianças palestinas, mutilaram outras 982 e detiveram 637 durante o ano. 2021.

“Se a situação se repetir em 2022, sem melhora significativa, Israel deve estar na lista”, alertou Guterres no relatório, referindo-se à chamada “lista da vergonha” da ONU, também conhecida como “lista negra”. organizações e países que violam os direitos das crianças em zonas de conflito ao redor do mundo.

O chefe da ONU disse estar “chocado” com crianças palestinas mortas ou feridas por ataques aéreos israelenses em áreas densamente povoadas e pelo uso de munição real pelas forças israelenses, bem como pela “continuada falta de responsabilidade [de

‘Espada’, unidad israelí para reprimir a los palestinos oprimidos | HISPANTV
‘Espada’, Unidade Israelense para Reprimir Palestinos Oprimidos | HISPANTV

O regime israelense criou uma unidade especial chamada “Sword” para perseguir os palestinos que residem nas áreas ocupadas.

Guterres também expressou séria preocupação com o uso excessivo da força nos territórios palestinos ocupados, instando “as forças israelenses a exercerem o máximo de contenção… para proteger vidas”. Nesse contexto, ele pediu a Israel que investigue todos os casos em que seus militares usaram munição real.

Forças israelenses atiram em outro palestino morto, 3º em 24 horas
Em relação às crianças palestinas detidas em prisões israelenses, Guterres enfatizou a necessidade de Israel aderir aos padrões internacionais em relação à prisão de menores e acabar com a chamada “detenção administrativa” de crianças, bem como os maus-tratos e violência nas prisões.

A política de detenção administrativa é uma modalidade que permite que palestinos sejam presos sem acusação ou julgamento, por períodos de até seis meses, prorrogáveis ​​por um número ilimitado de vezes.

Grupos de direitos humanos, por sua vez, descrevem a aplicação da detenção administrativa por Israel como uma “tática de falência” e há muito pedem, embora em vão, que Israel acabe com essa prática.

Anistia denuncia detenção administrativa ‘cruel’ de palestinos
Os militares israelenses foram criticados por seu uso generalizado e sistemático de força excessiva contra os palestinos, mas o regime de Tel Aviv está ignorando as advertências, até mesmo aumentando as atrocidades contra o povo oprimido da Palestina.

ONU alarmada com número crescente de assassinatos de palestinos

ÚLTIMAS NOTÍCIAS