21.5 C
Brasília
quinta-feira, 22 fevereiro, 2024

Ocupação: Temer cobra de diretores lista com nomes de estudantes

Foto: Reprodução/ Facebook
Contrários à PEC 241, a Medida Provisória da Reforma do Ensino Médio e a Lei da Mordaça, secundaristas ocupam mais de 900 colégios, em várias regiões do país, resistindo contra a truculência e a falta de democracia estabelecidas no país após a ascensão de Temer à presidência.

A presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE), Carina Vitral, considera um absurdo a ação do MEC, afirmando que “há uma tentativa de criminalizar e colocar a sociedade contra as ocupações, então o recado do movimento estudantil para MEC é: se vocês querem que as escolas sejam desocupadas até o dia 31 de outubro, que revogue a MP da Reforma do Ensino Médio, caso contrário as ocupações continuarão”.

Ação semelhante aos tempos de chumbo

Pedro Gorki, diretor da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) e participante da ocupação no Instituto Federal do Rio Grande do Norte, analisa com preocupação a atitude do governo, “esse ataque é semelhante aos que aconteciam durante a ditadura militar, período sombrio da história, fichar alunos é uma afronta ao movimento estudantil, todas essas ações são para desmobilizar nossas ocupações, mas se não deixamos de lutar durante o regime ditatorial, não será agora que desistiremos de reivindicar nossos direitos, não nos intimidaremos aos ataques desse governo ilegítimo, vamos sim ocupar mais escolas, agora sabemos que estamos incomodando”, afirma o estudante.

Até a manhã desta quinta-feira (20), o MEC não havia se pronunciado a respeito da emissão do ofício aos dirigentes dos Institutos Federais.

Veja abaixo a íntegra do documento:

Do Portal Vermelho 

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS