19.5 C
Brasília
sábado, 15 junho, 2024

O papel destacado da sociedade colombiana no processo de paz

Bogotá, 4 de agosto (Prensa Latina) Representantes das delegações de paz destacaram hoje o papel da sociedade colombiana no processo entre o governo e o Exército de Libertação Nacional (ELN) a partir do novo Comitê de Participação.

Em entrevista à Prensa Latina, Pablo Beltrán, chefe da delegação para conversações com a guerrilha, destacou que é a primeira vez que uma delegação do ELN vem a esta capital para dar cumprimento ao cessar-fogo bilateral iniciado nesta quinta-feira e acordado por 180 dias.

Também chegaram a Bogotá comandantes da força insurgente para instalar o Comitê de Participação Nacional, que se encarregará de desenhar toda a metodologia para que a sociedade colombiana seja protagonista na Mesa de Diálogo entre o ELN e o governo, acrescentou.

Sobre os acordos adoptados entre as duas partes e que já começaram a concretizar-se, assegurou que tal se deve ao facto de haver um governo que é interlocutor da paz.

“Toda a agenda que acumulamos desde o presidente Juan Manuel Santos neste momento está tendo um curso mais rápido”, afirmou.

O líder do ELN salientou sobre a trégua acordada, que entraram seis meses da cessação bilateral e esperam que ela seja bem sucedida e que o que corre mal possa ser corrigido para que possa ser prorrogado.

Explicou a Prensa Latina que realizarão avaliações trimestrais e que haverá um mecanismo de verificação encabeçado pela Missão da ONU na Colômbia que estará pendente para prevenir e solucionar incidentes.

“Acreditamos que será num bom ritmo”, enfatizou o negociador-chefe do ELN no âmbito do ato oficializado ontem pelo Comitê de Participação Nacional, que será formado por 81 delegados de movimentos sociais, povos étnicos, várias organizações, sindicatos e instituições.

A instância é conduzida pela Mesa de Diálogo para o cumprimento de quatro objetivos fundamentais:

A primeira consiste em apresentar um plano conceptual, operacional e logístico para promover e facilitar a intervenção da sociedade no desenho da participação.

Promover e desenvolver espaços de diálogo com enfoque diferencial, nos quais os diversos processos da sociedade possam apresentar suas propostas para o desenho da participação, indica o segundo objetivo.

O terceiro é sistematizar as diferentes propostas dos processos sociais convocados e, finalmente, o Comitê de Participação Nacional busca contribuir para a construção do Acordo Nacional.

Por sua vez, o senador do Pacto Histórico, Iván Cepeda, que integra a delegação do governo de Gustavo Petro, representando o Estado colombiano, destacou que ontem foi um momento histórico para a Colômbia.

“Dos 60 anos de conflito armado com o ELN, e dos 40 que tentamos negociar a paz, é a primeira vez que se verifica um acto desta natureza”, sublinhou.

Um ato em que estão na capital da República os dirigentes do ELN, o presidente do país, as delegações de paz acompanhadas pelas populações dos territórios onde decorre o conflito.

“Portanto, é uma mensagem muito forte, não é mais apenas um encontro no exterior com a generosidade de nossos anfitriões como Cuba, por exemplo, mas já está nos territórios, já está buscando soluções concretas para o conflito armado”, disse. ele disse.

“Já é uma mudança, um ponto de inflexão que consideramos essencial para alcançar a paz”, enfatizou o congressista colombiano à Prensa Latina.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS