21.5 C
Brasília
sexta-feira, 23 fevereiro, 2024

O mundo está com Cuba

A bandeira das três listras azuis e da estrela solitária foi levantada pelos amigos de Cuba em todo o mundo, nas constantes ações contra o criminoso bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos há mais de 60 anos.

No ano de 2023, os grupos de solidariedade exigiram o levantamento de todas as medidas coercitivas, a exclusão de Cuba da lista espúria de países patrocinadores do terrorismo, a normalização das relações entre os dois países e a possibilidade de maior intercâmbio bilateral.

Tanto pessoalmente quanto nas redes sociais, os amantes da justiça e as pessoas de boa vontade coletaram fundos para enviar doações a Cuba e convocaram diferentes campanhas internacionais para desafiar as sanções e aliviar o desconforto dos cubanos devido à escassez de materiais causada pelo bloqueio.

As datas históricas e a evocação dos famosos patriotas das lutas de libertação de Cuba serviram de pretexto para reunir os partidários da Revolução e vários grupos e movimentos de solidariedade transformaram os últimos fins de semana de cada mês em verdadeiros dias de apoio à ilha caribenha.

Merece menção especial a participação em massa nas caravanas de carros que, a partir dos Estados Unidos, convocam todos os amigos solidários a expressar sua rejeição ao bloqueio e à política intervencionista e colonizadora ditada pela Casa Branca.

Isso foi complementado por mobilizações e eventos públicos em frente às embaixadas e consulados dos EUA em diferentes países, exigindo o fim da guerra não convencional contra Cuba e das campanhas mentirosas da mídia que distorcem a realidade nacional.

Destacam-se as manifestações de apoio às visitas do presidente Miguel Díaz-Canel à Europa, à África e aos Estados Unidos, onde foram realizadas reuniões com grupos de solidariedade e cubanos residentes no exterior.

DENTRO DA ILHA

As principais ações dentro do arquipélago em 2023 foram marcadas pela presidência pro tempore de Cuba no Grupo dos 77 e na China, onde se chegou a um consenso sobre a proteção ambiental, a mitigação de desastres, o estímulo à educação, à cultura e ao esporte, o intercâmbio entre países e outros temas desafiadores, como a cooperação e o comércio.

A Cúpula, realizada em setembro em Havana, contou com a presença de representantes liderados principalmente pelos chefes dos Estados membros.

Outro espaço transcendental no fortalecimento da solidariedade com a Ilha foi a Conferência A Nação e a Emigração, que reuniu muitos cubanos que moram no exterior com o nobre sentimento de se aproximar de sua terra natal.

Cuba também realizou muitas ações em solidariedade com o mundo. As mais notáveis foram os eventos em diferentes províncias para condenar o bombardeio da Faixa de Gaza por Israel. O ponto culminante foi em Havana, com a marcha e a grande reunião da população em 23 de novembro.

SOLIDARIEDADE EM 12 MESES

Total de organizações de solidariedade: 1.649 em 150 países

Total de ações: 7.237

Mais de 400 declarações contra:

Título III da Lei Helms-Burton.

Inclusão de Cuba na lista de Estados patrocinadores do terrorismo.

ALGUMAS AÇÕES CONTRA O BLOQUEIO E EM SOLIDARIEDADE A CUBA EM 2023

4 de janeiro: O senador Ron Wyden pediu apoio para pequenas e médias empresas em Cuba.

16 de janeiro: Manifestação em Seattle.

18 de janeiro: 40.000 libras de ajuda humanitária são enviadas para as vítimas do furacão Ian.

19 de janeiro: 160 advogados dos EUA enviaram uma carta ao presidente Biden.

20 de janeiro: O Conselho Municipal de Bloomington, Indiana, aprovou por unanimidade uma resolução.

26 de janeiro: O secretário de Estado de Delaware, Jeffrey W. Bullock, e o comissário da Agricultura de Delaware, Michael T. Scuse, pediram o fim do embargo contra Cuba.

29 de janeiro: Caravanas foram realizadas em mais de 20 cidades dos EUA.

10 de fevereiro: O Conselho de Washington DC adotou uma resolução.

12 de fevereiro: Noam Chomsky e Vijay Prashad publicaram um artigo no People’s Dispatch.

14 de fevereiro: O Comitê Internacional dos Socialistas Democráticos da América divulgou sua oposição ao bloqueio.

26 de fevereiro: Caravanas foram realizadas em várias cidades dos EUA.

28 de fevereiro: A Rede Nacional sobre Cuba pediu o fim do bloqueio.

2 de março: O comitê do condado de Washtenaw, em Ann Arbor, Michigan, aprovou uma resolução.

6 de março: Os senadores Amy Klobuchar, Jerry Moran, Chris Murphy, Roger Marshall e Elizabeth Warren reintroduziram o projeto de lei bipartidário Freedom to Export to Cuba.

14 de março: 20 igrejas e organizações religiosas enviaram uma carta a Biden.

15 de março: Os senadores Ron Wyden, Cynthia Lummis e Chris Van Hollen enviaram uma carta ao presidente Biden.

21 de março: O Washington Office on Latin America e o Center for Democracy in the Americas emitiram uma declaração.

22 de março: Membros do Codepink interromperam o discurso do secretário de Estado Antony Blinken durante uma audiência no Comitê das Relações Exteriores do Senado.

26 de março: Dia da caravana contra o bloqueio.

10 de maio: 21 representantes democratas do Congresso enviaram uma carta ao presidente.

16 de maio: O Conselho de Washington DC aprovou uma resolução.

25 de junho: Uma semana de solidariedade a Cuba terminou com uma marcha e um comício em frente à Casa Branca.

27 de julho: A Associação Lazaro Cardenas, na Espanha, realizou um painel.

30 de julho: Caravanas contra o bloqueio.

10 de agosto: A Confederação Sindical das Américas promove a Campanha Cuba Sim, Não ao Bloqueio.

13 de agosto: A Associação Nacional de Amizade Itália-Cuba emitiu um comunicado condenando o bloqueio.

15 de setembro: O Partido Comunista Francês divulga a campanha de apoio político e econômico a Cuba.

4 de outubro: Na Alemanha, ciclistas percorrem 6 km para denunciar o bloqueio.

8 de outubro: Cerca de 119 organizações de 41 países exigem o fim do bloqueio.

10 de outubro: Associações bascas denunciam o bloqueio.

15 de outubro: Em Boston, são analisadas estratégias para enfrentar o bloqueio.

29 de outubro: Grande Dia Mundial de Solidariedade a Cuba nos cinco continentes.

5 de novembro: O Movimento Venceremos na Rússia faz uma ação em frente à embaixada dos EUA em Moscou.

25 de novembro: Na Nicarágua, condenaram o bloqueio e evocaram Fidel Castro.

26 de novembro: Equatorianos se manifestam contra o bloqueio, com uma subida ao vulcão Rucu Pichincha.

26 de novembro: Evento público na esquina da 62nd Street com a Nor Miami Avenue em Miami, Flórida.

26 de novembro: Ações de solidariedade com Cuba são registradas na Rússia, China, Venezuela, Costa Rica, México, El Salvador e Panamá.

2 de dezembro: Dois contêineres foram fechados em Barcelona para enviar materiais sanitários a Cuba.

10 de dezembro: A Campanha Dominicana de Solidariedade com Cuba condenou o bloqueio.

Fonte: Relatório de Cuba sob a resolução 77/7 da Assembleia Geral da ONU, intitulado «Necessidade de pôr fim ao embargo econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos da América contra Cuba».

ÚLTIMAS NOTÍCIAS