19.5 C
Brasília
sábado, 15 junho, 2024

Novos produtos latino-americanos no mercado russo

Moscou, 23 set (Prensa Latina) As relações comerciais entre a Rússia e a América Latina estão aumentando, assim como as exportações de produtos que há alguns anos eram inimagináveis ​​no mercado russo, destacou hoje a agência de notícias Sputnik.

Durante a 33ª edição da feira agroalimentar internacional WorldFood Moscou, que aconteceu em Moscou de 19 a 22 de setembro, participaram países de diversas partes do mundo, inclusive da América Latina: Brasil, Equador, México e Peru, afirma. … o aviso.

O presidente da empresa peruana Corporación Kajatt Vaccari SA, Francisco Kajjatt Vaccari, presente na Feira, comentou que as cadeias logísticas e financeiras foram cortadas após o início do conflito ucraniano, porém, garantiu que a empresa vê nisso uma oportunidade.

“Por outro ponto de vista, vemos como uma grande oportunidade, porque antes a Rússia comprava produtos do Peru através de intermediários europeus, agora será direto entre o Peru e a Rússia”, indicou.

Os exportadores GBC Foods, São José Agro, Lticínios Tirolez LTDA, Plantus, SL Trading, Unna Trading, West Food e Minerva Foords estiveram presentes como representantes do Brasil.

O diretor da empresa São José Agro, Nello Morlotti, indicou que diversos produtos que estão fora da cadeia produtiva tradicional brasileira estão chegando ao mercado russo, como o grão pico e o gergelim.

“A Rússia tem inúmeros consumidores e um nível de demanda muito alto, porque afinal os russos industrializam muito seus produtos básicos, então isso faz muito sentido para a agricultura brasileira”, disse Morlotti.

Além disso, ressaltou que os fertilizantes russos são muito importantes para a agricultura brasileira, por isso os dois países “têm uma relação muito íntima” nessa área.

No caso do Equador, a banana é uma das frutas mais valorizadas no comércio internacional, por isso todos os anos todas as marcas que estão fortemente posicionadas no mercado são apresentadas na feira WorldFood Moscou.

Segundo dados da Associação de Comercialização e Exportação de Banana do Equador (Acorbanec), das 162,83 milhões de caixas exportadas de janeiro a maio de 2023, 30,93 por cento foram destinadas à União Europeia como principal mercado, enquanto 22,84 foram negociadas com a Rússia.

Porém, se as exportações de banana forem analisadas por país, a Rússia é o Estado ao qual foi destinado o maior montante, acima dos Estados Unidos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS