Brasília, 2 de dezembro de 2021 às 16:17
Selecione o Idioma:

Colunistas

Postado em 13/08/2020 7:44

Novo imbecil coletivo

.

Por Genaldo de Melo

Alguns trabalhadores/as brasileiros, especialmente no funcionalismo público que forma grande parcela da classe média, aos poucos estão perdendo uma batalha, sem ao menos ter a consciência de que estão num campo de batalha. Aliás, alguns estão tomando cerveja e batendo palmas a cada punhalada que recebem de uma estrutura de poder que defende os bilionários do país.

Foram expostos a um processo de contaminação da imbecilização coletiva do “jornalismo da obediência” para guerrear contra todas as estruturas que durante décadas não fizeram outra coisa senão lutar pelos direitos mais elementares dos mesmos, que são os movimentos sociais e sindicais. Não entenderam que o poder é sempre uma disputa para ver quem controla o Estado e as riquezas do país.

As riquezas e o dinheiro do Estado sempre vão pertencer àqueles que controlam as estruturas de poder, que definem as regras de funcionamento das coisas na economia. O atual ministro da Economia não iria deixar de ganhar mais de R$ 500 mil por mês como CEO de banco privado para enfrentar tantos dissabores por apenas R$ 33 mil por nada!

Quem não entender isso, realmente adoeceu intelectualmente, porque politicamente adoeceu quando elegeu um sujeito que não fez debate sobre como governar o país, que doentemente perverteu o conceito de socialismo, mas a pandemia do coronavírus o obrigou a uma política “socialista” de distribuição de renda, e agora vai impor uma reforma administrativa para destruir sua vida como membro de classe média.

Pelo visto alguns só vão entender a gravidade da coisa quando começar a diminuir o dinheiro na conta! O axioma de Adorno e Horkheimer de que são os mais inteligentes que facilitam as coisas para os bárbaros, porque são a superioridade bem informada, nunca se fez tão presente entre os novos imbecis coletivos envenenados pelo WhatsApp! Uma pena!

Comentários: