14.5 C
Brasília
terça-feira, 11 junho, 2024

Moscou: Putin se reuniu com o chefe do Grupo Wagner no Kremlin 5 dias após tentativa de motim

Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e líder mercenário Yevgeny Prigojin  – Foto: Pavel Bednyakov/Sputnik/AFP e reprodução

Sputnik- O presidente russo Vladimir Putin se reuniu no Kremlin com o líder do Grupo Wagner Yevgeny Prigozhin e os dirigentes da empresa militar privada, para a reunião foram convidadas 35 pessoas, lá se discutiram os eventos de 24 de junho e outras questões, disse Dmitry Peskov, o porta-voz do presidente russo.

“De fato, o presidente teve tal reunião. Ele convidou 35 pessoas. Todos os comandantes dos destacamentos e os dirigentes da empresa. Incluindo o próprio Prigozhin. Esta reunião aconteceu no Kremlin em 29 de junho. Durou quase três horas”, disse o porta-voz aos jornalistas.
Peskov observou que os detalhes desta reunião não são conhecidos, mas delineou os tópicos.
“A única coisa que podemos dizer é que o presidente fez uma avaliação das ações da empresa no front no decorrer da operação militar especial, e deu sua avaliação dos eventos de 24 de junho, os comandantes também contaram a sua versão dos acontecimentos.”
Além disso, Peskov disse que os comandantes do Grupo Wagner afirmaram na reunião com o presidente russo no Kremlin que são seus apoiadores convictos e estão prontos para continuar a lutar pela Pátria.
“Eles enfatizaram que são apoiadores firmes e soldados do chefe de Estado e comandante supremo. E eles também disseram que estão prontos para continuar a lutar pela Pátria”, disse o representante do Kremlin.
Na noite de 24 de junho, na cidade russa de Rostov-no-Don, a sede do Distrito Militar do Sul foi tomada pelas forças e equipamentos do Grupo Wagner.
Vyacheslav Volodin, presidente da Duma, câmara baixa do Parlamento russo, fala em sessão plenária do órgão, foto publicada em 28 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 29.06.2023

Operação militar especial russa

Duma russa: Grupo Wagner deixou de participar da operação por não cumprir decisão do MD

A rebelião armada foi interrompida graças às difíceis negociações que o líder belarusso Aleksandr Lukashenko conduziu durante todo o sábado, em acordo com Vladimir Putin.

Como resultado, Prigozhin concordou em ir para Belarus, alguns dos combatentes que não participaram da rebelião se ofereceram para assinar um contrato com o Ministério da Defesa e o resto do Grupo Wagner não será perseguido.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS