21.5 C
Brasília
quinta-feira, 23 maio, 2024

México concede asilo político ao ex-vice-presidente do Equador Jorge Glas

Cidade do México, 5 abr (Prensa Latina) O governo mexicano decidiu conceder asilo político ao ex-vice-presidente equatoriano Jorge Glas, que atualmente se encontra na Embaixada deste país em Quito, informou hoje em comunicado o Ministério das Relações Exteriores.

Segundo o texto, isso será comunicado oficialmente às autoridades equatorianas juntamente com o pedido para que concedam a respectiva passagem segura, de acordo com a Convenção de Asilo Diplomático de 1954, tratado internacional do qual ambas as nações são partes.

Recordou que, de acordo com o disposto na referida Convenção, é o Estado de asilo (México) o único autorizado a qualificar a natureza da perseguição contra os requerentes de asilo político e que a sua decisão de continuar com o asilo deve ser respeitada pelo Estado territorial (Equador).

O Itamaraty acrescentou que, uma vez concedido o asilo, o Estado asilador pode solicitar a saída do requerente de asilo para território estrangeiro, ficando o Estado territorial obrigado a fornecer imediatamente o salvo-conduto correspondente.

A declaração surge após a declaração de persona non grata à embaixadora mexicana em Quito, Raquel Serur, devido – segundo aquele país – a comentários a respeito das últimas eleições no Equador feitos pelo presidente Andrés Manuel López Obrador, que descartou esta sexta-feira romper relações. com a nação.

Embora lamentando a decisão sobre Serur, o México também rejeitou o aumento da presença de forças policiais equatorianas fora da Embaixada, o que, segundo declarações de autoridades daquela nação sul-americana, é uma medida de rejeição e desacordo devido aos comentários de mexicanos autoridades.

Isto constitui um claro assédio à sua Embaixada e uma violação flagrante da Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas, afirma o texto, acrescentando que tais ações não correspondem às práticas habituais de vigilância e proteção das propriedades diplomáticas.

“O Governo do México exige que o Equador respeite a nossa soberania, não viole o direito ao asilo e cumpra com as suas obrigações internacionais, garanta a inviolabilidade das missões diplomáticas e cesse a política de assédio e intimidação”, afirma o comunicado.

Se esta situação continuar, sublinhou, o México responsabiliza o Equador por qualquer dano à sede diplomática, ao seu pessoal credenciado e a qualquer pessoa que esteja sob a proteção deste Estado naquele país.

López Obrador afirmou esta sexta-feira durante a sua habitual conferência de imprensa que o governo do Equador tem um confronto com um grupo de oposição liderado pelo ex-presidente Rafael Correa, que na sua opinião fez uma boa administração na época.

Lembrou que Glas (considerado perseguido politicamente) foi acusado de corrupção, estava preso e, ao ser libertado, reiniciaram outro julgamento, antes do qual decidiu buscar proteção e asilo na Embaixada do México em Quito.

“O que o governo do Equador queria? “Que entregamos a eles e não podemos fazer isso, porque o México tem uma política externa caracterizada pela proteção das pessoas perseguidas e pelo asilo”, disse ele.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS