24.5 C
Brasília
segunda-feira, 27 maio, 2024

Manifestantes porto-riquenhos presos contra LUMA e Conselho Fiscal

Foto: Xavier Garcia / Bloomberg

San Juan,(Prensa Latina) Doze manifestantes permanecem hoje detidos pela polícia após um protesto do coletivo Acabaram as promessas na área bancária da capital porto-riquenha contra o Conselho Fiscal (JSF) e a LUMA Energia.
A polícia alertou os que protestavam em Hato Rey, que bloqueavam com elásticos um trecho da Avenida Muñoz Rivera na área bancária, onde exibiam uma faixa preta com a legenda branca Promises Are Over.
As prisões foram atribuídas pela polícia a resistir ou obstruir a autoridade pública ou impedir qualquer funcionário público de cumprir as obrigações de seu cargo.
Os detentos foram identificados como Gladys Santiago Feliciano, 66 anos; Alberto de Jesus Mercado (Tito Kayak), 64; Jocelyn Velázquez Rodríguez, 41; Félix Colón Bernard, 40, e Orlando Flores Alicea, 60.
Além disso, Víctor M. Santos Martínez, 58; Casimar Cruz Crespo, 42; Imac Morales Carrasquillo, 57; Juan Arvelo Rivera, 63; Eva Ayala Reyes, 61; María del Carmen Berrios Huerta, 70; e Carlos R. Alicea Negron, 55 anos.
Todos foram citados para datas diferentes entre 6 e 16 de setembro.
Jocelyn Velázquez, porta-voz do grupo, “culpou o governador de Porto Rico, Pedro R. Pierluisi, e o conselho de controle fiscal ditatorial, o Departamento de Energia e o governo dos Estados Unidos pela crise energética que a ilha atravessa”.
“Há mais de um ano foi avisado que o contrato da LUMA desencadearia uma terrível crise social, humana e econômica. Atualmente, os apagões e a incapacidade desta empresa são nosso pão de cada dia”, disse o ativista social, um dos presos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS