18.5 C
Brasília
quinta-feira, 30 maio, 2024

Mais de 85% dos municípios do Rio Grande do Sul registram estragos causados pelas chuvas

© Foto: Ricardo Stuckert / PR

Sputnik – É o que revelou o último balanço divulgado pela Defesa Civil nesta quarta-feira (8) em meio aos novos alertas de tempestades para o Rio Grande do Sul no fim de semana. Conforme o levantamento, 85,5% das 497 cidades gaúchas já registram estragos causados pelas chuvas. A enchente histórica avança para cidades como Pelotas e Rio Grande, no litoral.

O número de mortos também voltou a crescer no estado e chegou a 105, com outras 130 pessoas desaparecidas. Pelo menos 163 mil pessoas estão desalojadas e outras 67,4 mil em abrigos mantidos pelas prefeituras ou pela sociedade civil.
Mais de 1,47 milhão de pessoas foram afetadas em 425 cidades gaúchas, o que mostra a dimensão da maior tragédia climática já registrada no Rio Grande do Sul. E as previsões são pessimistas para a região.
Conforme o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), há expectativa da chegada de um ciclone extratropical vindo da Argentina para o extremo sul do estado, o que deve causar chuvas com volumes acima de 100 milímetros. Além disso, as temperaturas vão baixar drasticamente, com registros de até 4ºC nas áreas mais frias, como a Serra Gaúcha, uma das mais afetadas. Em Porto Alegre, capital do estado, a mínima deve ficar em 12ºC.

Militares carregam o NAM Atlântico com suprimentos e doações para a população gaúcha, no Rio de Janeiro. Brasil, 8 de maio de 2024 - Sputnik Brasil, 1920, 08.05.2024

Notícias do Brasil

Marinha envia ao RS navio capaz de produzir 20 mil litros de água potável por hora (VÍDEOS)

Resgates interrompidos em Porto Alegre

Após alguns dias de trégua, que não foram suficientes para amenizar as cheias do rio Guaíba, Porto Alegre voltou a registrar chuvas nesta quarta. Por conta disso, a prefeitura anunciou a interrupção temporária das operações de resgate devido à intensificação das condições climáticas, que impedem tais ações.
O prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (MDB), utilizou as redes sociais para alertar a população sobre a intensificação das chuvas na região ao longo do dia. “Isso dificulta o escoamento das águas […]. Há um índice muito forte de chuva para as próximas horas, e isso vai acelerar com a mudança do vento.”
O Guaíba, um dos pontos críticos da região, registrou uma diminuição de 20 centímetros em seu nível desde a noite de terça-feira (7), chegando a 5,08 metros de altura às 11h00.
Apesar da redução, o nível das águas permanece acima da cota de inundação de 3 metros, o que evidencia a gravidade da situação.

Responsável por 3% da movimentação de passageiros no país, o Aeroporto Internacional Salgado Filho, na capital, está com as operações paralisadas desde o fim da última semana e não há sequer previsão para retomada das atividades no local. Os voos começaram a ser remanejados para terminais regionais.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS