22.5 C
Brasília
terça-feira, 21 maio, 2024

Maduro diz que ameaças dos EUA são gritos de um império obsoleto

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, discursa na Feira de Ciências Irã-Venezuela Expo, que acontece em Caracas, em 15 de setembro de 2022. (Foto: VTV)

Nicolás Maduro despreza as ameaças dos EUA de estender as sanções à Venezuela, se não retomar o diálogo com a oposição e lembra que não é mais um ‘império’.

HipanTV – Em um discurso proferido na quinta-feira da Feira Científica, Tecnológica e Industrial Irã-Venezuela, junto com empresários persas, em Caracas, capital, o presidente venezuelano Nicolás Maduro assegurou que as ameaças de Washington estão perdidas “no fundo do mar de desprezo.

“Eles vão gritar ameaças, o império americano, mas devem saber que suas ameaças estão perdidas no fundo do mar do desprezo e do esquecimento. E a sua arrogância permanece como uma triste fábula do que foram e nunca mais serão, um império único”, disse o presidente.

Maduro, que sempre considerou as ameaças dos Estados Unidos como um sinal de sua decadência, assegurou no evento que o tempo dos “impérios dominantes” havia chegado ao fim e havia chegado a hora dos povos, da paz , cooperação e o “direito de existir e se desenvolver”.

Maduro: EEUU secuestró a Saab para tumbar diálogos intervenezolanos | HISPANTVMaduro: EUA sequestraram Saab para derrubar negociações venezuelanas | HISPANTV

O presidente Maduro afirma que a extradição de Alex Saab pelos EUA busca derrubar as negociações venezuelanas entre o governo e a oposição no México.
De que ameaça está falando Maduro?
Com essas declarações, o presidente reagiu a um ultimato feito no mesmo dia pelo subsecretário do Departamento de Estado para a América Latina, Brian Nichols, que alertou que Caracas sofrerá mais sanções, caso não retome o diálogo com a oposição na Cidade do México. , suspenso em outubro de 2021.

“Nicolás Maduro comete um grave erro se pensa que nossa paciência é infinita e que as táticas de atraso o servirão bem. Estamos preparados para responder com sanções e medidas abrangentes”, disse Nichols ao Comitê de Relações Exteriores do Senado dos EUA.

Maduro deixou a mesa de diálogo com a oposição no México em outubro passado em protesto contra o ‘sequestro’ do diplomata Alex Saab, representante permanente do governo venezuelano nas negociações em Cabo Verde em 2020 e sua extradição em 16 de outubro de 2021 para os EUA por supostos crimes de lavagem de dinheiro.

O presidente chavista criticou anteriormente os EUA por sabotar o diálogo com a oposição e a paz na Venezuela com o sequestro de Saab, e chamou a medida de uma “punhalada nas costas” das negociações.

Venezuela: os EUA foram quem chutou a mesa de negociações no México
O governo de Caracas disse que está disposto a retomar o diálogo com a oposição se Washington libertar seu diplomata sequestrado.

Governo e oposição da Venezuela se reúnem para retomar negociações

ÚLTIMAS NOTÍCIAS