29.5 C
Brasília
sexta-feira, 1 março, 2024

López Obrador lembra aos EUA que “o México não é piñata de ninguém”

“Ontem houve uma votação no Congresso dos Estados Unidos e uma proposta apresentada pelo presidente (Joe) Biden sobre questões de imigração foi rejeitada porque tudo já é política eleitoral e eles querem usar, o que não vamos permitir, a questão da imigração, como outras questões, para avançar no campo eleitoral”, declarou o presidente mexicano na quinta-feira em sua conferência matinal.

Com estas palavras, López Obrador referiu-se ao fracasso na quarta-feira do projeto de lei de segurança fronteiriça no Senado dos Estados Unidos, onde não obteve os 60 votos necessários para avançar para o debate, com 50 votos contra e 49 a favor.

“O México não é piñata de ninguém, por isso vamos estar vigilantes”, sublinhou AMLO a propósito do referido plano de imigração fracassado no Senado dos EUA que permitiu o encerramento da fronteira e a expulsão de mais migrantes para o território mexicano.

O presidente mexicano critica o governador do Texas, nos Estados Unidos, por acusar os migrantes de “invasão”, chamando o caso de “exagero” e “desproporção”.

O presidente mexicano reiterou as suas propostas para regularizar os migrantes mexicanos que estão nos Estados Unidos há mais de cinco anos e aprovar um plano de desenvolvimento para os países pobres da América Latina.

Neste contexto, o presidente mexicano lembrou que “a grandeza” dos Estados Unidos “desde a sua fundação se deve aos migrantes”. “Cansamos de dizer-lhes que devem servir os pobres da América Latina e do Caribe, para que as pessoas não sejam obrigadas a abandonar as suas comunidades, a abandonar as suas famílias”, destacou.

A pressão dos Estados Unidos sobre o México aumentou porque, além dos níveis recordes de migração, com mais de 300.000 travessias irregulares em dezembro passado, em 2024 coincidem as eleições presidenciais de ambos os países.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS