27.5 C
Brasília
segunda-feira, 20 maio, 2024

Líderes mundiais repudiam o ataque contra Cristina Fernández

Um homem aponta uma arma para a vice-presidente argentina Cristina Fernandez de Kirchner em Buenos Aires em 1º de setembro de 2022.

HispanTV –  Os líderes mundiais repudiam a tentativa de assassinato da vice-presidente argentina Cristina Fernández, que consideram um atentado à democracia.

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, e o ministro das Relações Exteriores do país, Carlos Faría, condenaram “fortemente” “o ataque desastroso” contra Cristina Fernández de Kirchner, a quem um homem tentou atirar com uma pistola na quinta-feira quando ela cumprimentava militantes e seguidores na porta de sua casa em Buenos Aires (capital).
O presidente venezuelano expressou em sua conta no Twitter sua solidariedade com Cristina Fernández diante da ação que “busca desestabilizar a paz” na Argentina.
Do Equador, o presidente Guillermo Lasso enviou uma mensagem de solidariedade ao vice-presidente, expressando sua rejeição ao ódio e à violência.
O presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, também expressou sua “consternação” pela tentativa de assassinato do ex-presidente argentino.
Do Brasil, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou “toda” sua “solidariedade a Cristina Fernández de Kirchner, denunciando que ela foi “vítima de um criminoso fascista que não sabe respeitar as diferenças e a diversidade”, comemorando também que “graças a Deus ela saiu ilesa” do ataque.
Lula exigiu que “o autor sofra todas as consequências legais” porque “essa violência e ódio político que estão sendo estimulados por alguns são uma ameaça à democracia na região” e “os democratas do mundo não vão tolerar nenhuma violência por divergências políticas. “.
Por sua vez, o presidente da Bolívia, Luis Arce, também enviou sua mensagem de solidariedade à vice-presidente e sua família.
Por sua vez, o ex-presidente boliviano, Evo Morales, atribuiu essa “covarde tentativa de assassinato” à “direita” e ao “imperialismo”.
https://twitter.com/i/status/1565521613801521157
O presidente chileno, Gabriel Boric, também afirmou em sua conta no Twitter que o ataque “merece o repúdio de todo o continente”.
Do Peru, o presidente, Pedro Castillo, também se juntou à onda de condenações internacionais contra o ataque contra o vice-presidente, expressando toda a sua solidariedade a Cristina Fernández.
Por sua vez, o chanceler mexicano, Marcelo Ebrard, expressou “a mais completa solidariedade do México a Cristina Fernández e ao Governo da República Argentina”.
O ex-presidente equatoriano Rafael Correa fez o mesmo, expressando sua solidariedade a Kirchner.
Por sua vez, o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, solicitou o esclarecimento e a investigação do caso, como forma de rechaçar a violência.
Da mesma forma, a organização de direitos humanos Anistia Internacional (AI) afirmou sua rejeição ao ataque. “Nossa democracia não pode e não deve tolerar esse tipo de agressão, não apenas contra as instituições, mas também contra o Estado de Direito”, afirmou.
Em um discurso em rede nacional que fez da Quinta de Olivos, o presidente argentino, Alberto Fernández, declarou “feriado nacional” nesta sexta-feira em repúdio ao ataque contra o vice-presidente que “merece o mais forte repúdio do toda a sociedade argentina e de todos os setores políticos” porque, em sua opinião, esses eventos afetam a democracia na Argentina.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS