24.5 C
Brasília
quinta-feira, 13 junho, 2024

Líderes da América Latina retiram referências à Ucrânia em documento com a UE, diz mídia

© AP Photo / Valentina Petrova

Sputnik – Relatos apontam para a recusa por parte de líderes latino-americanos de uma participação de Vladimir Zelensky, apesar da suposta vontade da Espanha.

Os Estados-membros da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC) “removeram tudo sobre a Ucrânia” da minuta do documento final enviado pela União Europeia (UE). Agora, de acordo com a declaração, os lados defenderão juntos “soluções diplomáticas sérias e construtivas para o atual conflito na Europa”, comunicou nesta quinta-feira (6) o portal Euractiv.
A cúpula será realizada em 17 e 18 de junho em Bruxelas, Bélgica. Um dos prováveis tópicos da cúpula será a situação na Ucrânia. Recentemente, Josep Borrell, chefe das Relações Exteriores da UE, e Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, visitaram a América Latina. No entanto, Zelensky não foi convidado por líderes da América Latina.
Os países latino-americanos “disseram repetidamente que não queriam ser arrastados para se posicionar na guerra que continuam vendo como primariamente um ‘problema europeu'”.
Vladimir Zelensky, o presidente da Zâmbia, Hakainde Hichilema, segundo da direita, o presidente sul-africano Cyril Ramaphosa, terceiro da direita, o primeiro-ministro do Egito, Mustafa Madbuly, quarto da esquerda, de costas para a câmera , Presidente da União das Comores Azali Assoumani, quinto da esquerda, e o presidente do Senegal, Macky Sall, terceiro da esquerda, participam de reunião em Kiev, Ucrânia, sexta-feira, 16 de junho de 2023 - Sputnik Brasil, 1920, 29.06.2023

Panorama internacional

Sul Global dificulta plano da Ucrânia na ONU para criar tribunal internacional, diz mídia brasileira

A contraproposta que os países da CELAC enviaram a Bruxelas mostra que “não vemos as coisas da mesma forma, ou que a UE precisa se esforçar mais para transmitir suas mensagens e não apenas quando lhe convém“, de acordo com um diplomata da UE.
“Parece que eles querem ser vistos como parceiros iguais”, afirmou uma das fontes.
Segundo o Euractiv, o líder ucraniano inicialmente recebeu um convite da Espanha, “mas [ele] foi recusado após a resistência dos líderes latino-americanos“, disse a publicação.

De acordo com vários diplomatas da UE, existe a possibilidade de que o documento conjunto não seja adotado após a cúpula.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS