15.5 C
Brasília
terça-feira, 11 junho, 2024

Líder indígena ratificado como candidato presidencial no Equador

Quito (Prensa Latina) O movimento Pachakutik no Equador ratificou neste sabado (08) a designação do líder da Confederação das Nacionalidades Indígenas (Conaie), Leónidas Iza, como seu candidato para as eleições presidenciais de 2025 aqui.

O anúncio foi feito neste sábado durante a Convenção Nacional desse movimento que representa os interesses dos povos indígenas liderado pela Conaie.

Após a confirmação da sua candidatura presidencial, Iza referiu-se à criação de estratégias em matéria de migração, desemprego, alterações climáticas, recrutamento forçado de crianças pelo crime organizado, delinquência e para a unidade dos sectores sociais.

Não podemos continuar com os antis ou os prós. O que temos que construir é uma grande unidade que combata o neoliberalismo e o Fundo Monetário Internacional (FMI), enfatizou o líder indígena.

líder-indígena-ratificado-como-candidato-presidencial-no-Equador

Aliás, Iza referiu-se ao acordo do Executivo com o FMI e ao direcionamento dos subsídios aos combustíveis e não descartou medidas, como uma nova mobilização.

Se tivermos de ir às ruas, iremos, mas não nos deixaremos subjugar pelo FMI. Se ao lutarmos pela justiça a morte nos encontrar, seremos uma semente de rebelião para as gerações futuras, alertou.

Neste sábado, organizações e membros de comunidades indígenas do Equador se reuniram para definir ações contra a política do presidente Daniel Noboa, por considerarem “que afeta a maioria da população”.

líder-indígena-ratificado-como-candidato-presidencial-no-Equador

Durante o encontro, a comunidade indígena aqui analisou as recentes medidas adotadas pelo presidente, principalmente a anunciada eliminação dos subsídios aos combustíveis.

Os membros do movimento Pachakutik apresentaram um programa de governo para 2025 que inclui sete eixos com estratégias para a segurança integral, a criação de empregos, a soberania alimentar, a rejeição do extrativismo e a criação de uma sociedade intercultural e plurinacional que respeite a autonomia dos povos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS