Brasília, 26 de junho de 2022 às 17:38
Selecione o Idioma:

Equador

Postado em 22/04/2022 8:56

Justiça do Equador emite ordem de extradição do ex-presidente Correa

.

Rafael Correa foi presidente do Equador de 2007 a 2017 e afirma ser vítima de perseguição judicial – Alfredo Estrella / AFP

Bélgica oferece asilo

Rafael Correa é acusado de supostamente receber subornos em contratos com empresas privadas
Michele de Mello
Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

O presidente da Corte Nacional de Justiça do Equador (CNJ), Iván Saquicela, assinou a ordem de extradição do ex-presidente Rafael Correa (2007 – 2017), acusado de receber subornos durante sua última campanha presidencial. A decisão foi enviada à chancelaria equatoriana. Em resposta, a Bélgica, país onde Correa reside desde 2017, concedeu asilo político ao ex-mandatário.

Em setembro de 2020, o Tribunal de Cassação do Equador ratificou a sentença de oito anos de prisão contra Correa e o ex-vice presidente Jorge Glas, acusados de receber US$ 7,5 milhões em subornos de empresas privadas para financiar a campanha eleitoral da sua coalizão Aliança País.

Glas permanece preso desde 2017 e Correa teve seus direitos políticos suspensos por 25 anos.

:: Lawfare latino-americana: a Operação Condor do século 21 :: 

O processo é denunciado internacionalmente como um caso de lawfare – perseguição político judicial.

Em tom jocoso, Rafael Correa respondeu a sentença em suas redes sociais, dizendo: “creio que já é a quarta vez. Tomara que também publiquem a resposta da Bélgica. Palhaço”.

Comentários: