18.5 C
Brasília
quinta-feira, 30 maio, 2024

O Hezbollah transformou uma colônia israelense em uma “cidade fantasma”

As forças israelenses inspecionam a área em Kiryat Shmona onde foi atingido um míssil antitanque supostamente disparado pelo Hezbollah. (Foto: NPR)

HispanTV – O assentamento israelense de Kiryat Shmona, perto da fronteira libanesa, evacuado pelos ataques do Hezbollah, tornou-se uma “cidade fantasma”, segundo o JP.

O assentamento, localizado no norte dos territórios palestinos ocupados, é a maior comuna abandonada desde 8 de outubro, quando o Movimento de Resistência Islâmica do Líbano (Hezbollah) iniciou ataques em grande escala contra Israel em resposta à campanha genocida israelense contra a Faixa de Gaza. .

O jornal israelense The Jerusalem Post (JP) descreveu na quarta-feira Kiryat Shmona como uma “cidade fantasma”, onde a maior parte da população de mais de 22.000 pessoas fugiu do assentamento como resultado de ofensivas retaliatórias do Hezbollah.

O relatório detalha que todos os trabalhadores dos serviços de emergência do assentamento foram evacuados, enquanto o trânsito permanece extremamente leve, o que levou o município a desligar os semáforos.

Um apagão prolongado de energia afectaria mais de 60% da Palestina ocupada se ocorresse um conflito mais amplo com o Hezbollah, alertam as autoridades israelitas.

Segundo o JP, apenas um supermercado continua aberto, mas fecha ao meio-dia. Fontes locais dizem que lobos e animais selvagens vagam pelas ruas do assentamento à noite.

Ele acrescentou que a maioria dos colonos que fugiram de Kiryat Shmona decidiram não regressar, dizendo que quanto mais o conflito com o Hezbollah se arrastar, maior será a probabilidade de se mudarem permanentemente.

O relatório explica que, devido ao lançamento diário de foguetes do Líbano, as autoridades israelenses foram forçadas a evacuar 43 assentamentos localizados perto da fronteira libanesa, realocando os colonos para as Colinas de Golã sírias ocupadas. Isso forçou mais de 60 mil colonos a deixar suas casas e ficar em hotéis, aluguéis ou com familiares ou amigos.

Além disso, o JP afirmou, citando responsáveis ​​israelitas, que o início do ano letivo – que estava previsto para 1 de setembro – nas comunas do norte seria provavelmente adiado devido ao conflito prolongado.

“A cada dois dias, um projétil cai sobre uma das casas, e os mísseis antitanque, especialmente os mísseis Cornet, são especialmente letais”, disse o chefe do assentamento de Metula, David Azoulay, afirmando que das 600 unidades no assentamento, 130 foram danificados e alguns completamente destruídos, segundo JP.

A milícia de elite libanesa assumiu a responsabilidade por 1.637  ataques contra alvos israelenses  desde 8 de outubro passado, dos quais 1.404 tiveram como alvo posições do exército israelense localizadas no norte dos territórios ocupados, 52 atingiram os sistemas antimísseis do regime e outros 182 foram alvos. comunas localizadas na fronteira do Líbano.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS