26.5 C
Brasília
domingo, 26 maio, 2024

Israel já superou Hitler após matar mais de 14 mil crianças em Gaza, diz Erdogan

© AFP 2023 / Adem Altan

Sputnik – O alto responsável reiterou seu apoio ao Hamas, que vê como lutando contra a injustiça israelense, e o comparou com a Guerra da Independência da Turquia (1919-1923).

Israel já superou o líder nazista Adolf Hitler após matar mais de 14 mil crianças inocentes em Gaza, disse na quarta-feira (17) o presidente da Turquia.
O líder turco disse que Israel está realizando massacres que são marcas de vergonha na história da humanidade com o apoio incondicional do Ocidente, tanto em Gaza quanto na Cisjordânia.
Falando durante uma reunião do grupo do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP, na sigla em turco) no parlamento turco, Recep Tayyip Erdogan contou que há 15 anos, no Fórum Econômico Mundial de 2009 em Davos, na Suíça, ele desafiou a liderança israelense e sua opressão dos palestinos, no célebre episódio “Um minuto!”, apontando:
“Quando ninguém mais quis falar, nós nos levantamos e dissemos: ‘O Hamas não é uma organização terrorista, mas um grupo de resistência’. Apresentamos mapas na ONU mostrando como Israel ocupou gradualmente as terras da Palestina nos últimos 70 anos”, acrescentou.
O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, ouve o líder palestino Mahmud Abbas falar durante uma reunião em Ancara, em 5 de março de 2024 - Sputnik Brasil, 1920, 09.04.2024

Panorama internacional

Turquia aplica 1ª vasta restrição comercial contra Israel por Gaza; Berlim nega ‘ajudar genocídio’

Apoiamos nossos irmãos e irmãs palestinos de todas as formas, especialmente nos momentos mais difíceis. Mobilizamos todos os nossos recursos para a Palestina, para o povo oprimido de Gaza”, sublinhou ele.
Segundo ele, “há um preço a pagar por dizer isso”, e comparou a luta do Hamas com a Guerra da Independência da Turquia há mais de 100 anos.
“Enquanto Deus me conceder a vida, continuarei defendendo a luta da Palestina e serei a voz do povo palestino oprimido”, acrescentou Erdogan.
Erdogan reiterou a determinação da Turquia de defender corajosamente a luta da Palestina pela independência em toda e qualquer circunstância.

Em 2009, durante um painel de discussão no Fórum Econômico Mundial em Davos, Erdogan se recusou a ser interrompido pelo moderador, o colunista do Washington Post David Ignatius, ao tentar responder às justificativas do então presidente israelense Shimon Peres. “Um minuto… Um minuto… um minuto”, disse Erdogan a Ignatius, dirigindo-se depois a Peres.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS