Brasília, 21 de janeiro de 2022 às 18:57
Selecione o Idioma:

Sem Titulo

Postado em 20/01/2016 9:19

Informativo da Embaixada da República Árabe da Síria

.

As hordas pertencentes à organização terrorista ISIS atacaram, em 16/01/2016, o bairro de Begheliyeh, invadindo casas e matando civis inocentes por degola, tiros e explosões, o que resultou no assassinato de 280 civis, em sua maioria idosos, mulheres e crianças. As hordas desta organização terrorista também sequestraram cerca de 400 civis desarmados da comunidade de Begheliyeh, que foram levados para outras localidades.

Este novo massacre segue uma sequência de atos terroristas brutais e sistemáticos perpetrados por estes grupos terroristas armados, na Síria, apoiados por países regionais e internacionais que se utilizam destes terroristas para servir aos seus interesses estreitos e para atender às suas agendas geopolíticas para a região.

O governo da República Árabe da Síria afirma que os crimes e os massacres perpetrados pelo ISIS e por outras organizações terroristas não ocorreriam se não fosse pelo apoio ininterrupto dado aos terroristas, tal como o fornecimento de armas, equipamentos, dinheiro e apoio logístico, fornecidos pelos serviços de informações envolvidos no derramamento de sangue do povo sírio, especialmente da Arábia Saudita, do Qatar e da Turquia. Assinala, ainda, para o papel destrutivo da França, que colocou toda a sua diplomacia para falar besteiras que incentivam a perpetração de ações terroristas, através da demonização das forças que combatem, verdadeiramente, o terrorismo.

Os massacres e crimes cometidos pelos grupos terroristas armados na Síria, tais como o “ISIS”, a “Frente Al Nusra”, o “Exército Islâmico”, a “Frente Islâmica”, o “Exército Fath”, o “Exército Livre”, “Os Livres da Síria” e outras organizações terroristas ligadas à estas, requerem do Conselho de Segurança medidas mais severas contra os países que apoiam e financiam o terrorismo que vem tomando os continentes. Este terrorismo não tem, somente, como alvo a paz e a segurança da Síria, mas sim do mundo como um todo. Exige-se, hoje, da comunidade internacional que reafirme o seu compromisso em lutar contra o terrorismo e os grupos terroristas e extremistas, longe da politicagem, da duplicidade de pesos e medidas e através da total cooperação e coordenação com o Governo da República Árabe da Síria, para combater este perigoso flagelo e oferecer o apoio ao Governo sírio, que luta contra o terrorismo, em nome de todos os povos do mundo, em defesa do ser humano, dos valores de justiça, de liberdade e de uma vida digna, e para combater o mal do extremismo, do fanatismo cego e das ideias obscurantistas e destrutivas. Estes crimes estão sendo cometidos perante a chamada “Coalizão Americana” e dos outros países que colaboram com ela e que já provaram o seu fracasso e a sua hipocrisia, enquanto o Exército Árabe Sírio e as Forças Aéreas russas travam uma guerra implacável contra este terrorismo.

O Governo da República Árabe da Síria, ao afirmar a priorização da luta contra o terrorismo na Síria e sua perseverança em continuar cumprindo com o seu dever de defender o povo sírio e protegê-lo de tudo o que possa afetar a sua integridade, de acordo com as suas responsabilidades constitucionais, conclama, mais uma vez, o Conselho de Segurança e o Secretário Geral das Nações Unidas a condenar estas ações criminosas de terrorismo e para que todos os membros do Conselho de Segurança assumam a sua responsabilidade de lutar contra o terrorismo, erradica-lo e secar suas fontes de financiamento através do cumprimento de suas resoluções, especialmente as resoluções números 2170(2014), 2178(2014), 2199(2015) e 2253(2015), e a adotar todas as medidas dissuasivas contra os países, indivíduos, associações e instituições que violam estas resoluções, especialmente os regimes da Turquia, do Qatar, da Arábia Saudita e de alguns países ocidentais que continuam mantendo este complô contra a Síria

Fonte: Embaixada da República Árabe da Síria

Tradução: Jihan Arar

Comentários: