29.5 C
Brasília
sexta-feira, 1 março, 2024

Inédito no carnaval de Salvador, Camarote Casa de Gana lança programação cultural

Fotos:  Nathane Santana

De 8 a 13 de fevereiro camarote recebe artistas, autoridades e empresários ganenses com música, arte e gastronomia tradicionais do país africano

O carnaval de Salvador (BA) acaba de receber o seu primeiro camarote internacional, e como não podia deixar de ser, a “Capital Afro” ganhou um camarote de país africano.  O Camarote Casa de Gana realizou sua abertura oficial  nesta quinta-feira (8) e contou com a presença da embaixadora de Gana, Abena Busia; o fundador do Hub de inovação Vale do Dendê, Paulo Rogério, o presidente da Fundação Palmares e do Olodum João Jorge, além de representantes de entidades e autoridades da capital baiana. O camarote segue com programação artística e de aprofundamento histórico-cultural até dia 13 de fevereiro no Vale do Dendê (Pelourinho).

A cerimônia de abertura contou com música, dança e comidas típicas de Gana em um momento de celebração que saudou o intercâmbio cultural entre a cultura africana e baiana. Ganesas dançaram ao som de músicas tradicionais. Também se apresentaram integrantes do bloco afro Muzenza e músicos do Nine Four Records, produtora, selo e gravadora da cena trap. À tarde foi exibido o documentário “Tabom na Bahia” que conta a história de africanos escravizados no Brasil que retornaram à Gana e formaram uma comunidade.

O Kente, tradicional tecido da realeza africana, é um dos destaques do camarote.  Conhecido por suas cores, simbolismo e história, o tecido decora o espaço, além de integrar uma exposição com modelos de roupas, com curadoria de Luiz do Nascimento Delaja. Os visitantes também terão acesso  a uma demonstração de tecelagem ao vivo com o artesão ganês Richard Ohene Kumah.

A embaixadora de Gana celebrou mais um encontro entre Gana e Bahia. “A música, as fantasias nas vestimentas, os desfiles em grupos afrocentrados. Tudo isso nos é familiar, é nosso. A Bahia tem muito da África, especialmente características de Gana. Por isso, é emocionante fazer esse intercâmbio. Vamos viver uma experiência incrível”.

Para ela, a instalação pioneira do camarote na folia é mais uma iniciativa que visa incentivar a instalação de uma casa permanente em Salvador. “Empresários, artistas e produtores estão vindo de Gana para conhecer Salvador e fortalecer laços culturais, turísticos e comerciais entre Gana e o Brasil”, enfatiza a embaixadora.

Público poderá fazer teste DNAfro e descobrir ancestralidade

O público que visitar o Camarote Casa de Gana também poderá ter mais informações sobre sua ancestralidade através dos pacotes de testes genéticos DNAfro. Desenvolvido pela Genera e Brafrika Viagens, o teste mapeia as regiões de onde vieram seus ancestrais, com suas respectivas porcentagens, além de apresentar um relatório com diversas predisposições e características genéticas que podem interferir na saúde das populações afrodescendentes.

O teste é realizado a partir de uma amostra de saliva que é analisada em laboratório. O resultado sai em até 25 dias úteis. O teste de ancestralidade, saúde e bem-estar da Genera, junto com o Painel DNAfro, estará disponível para compra com preço promocional durante toda a programação do Camarote Casa de Gana.

SOBRE GANA E RELAÇÃO COM O BRASIL

Localizado na costa oeste da África, Gana é um país de diversidade étnica e cultural. Seu território é ocupado por diferentes povos como os Akan, Mole-Dagbon, Ewe, Ga-Dangme, entre outros. Essa diversidade é refletida nas tradições, línguas e práticas culturais do país que ganham importante expressão através da música, dança e artesanato. O país é um dos maiores produtores de ouro do mundo e também está envolvido na extração de bauxita, diamantes e manganês.

Grande parte dos africanos escravizados que foram embarcados para o Brasil pertenciam à costa da África Ocidental, e aqueles que foram repatriados e voltaram à Gana até hoje são chamados de “Tabom”, que vem da expressão em português “Tá bom”. Eles trouxeram consigo muitas habilidades, incluindo a construção da primeira casa de dois andares em Accra – capital de Gana, conhecida como Casa Brasil.

Nos anos 1960 e 1970, as relações foram marcadas pela agenda comum voltada para a condenação ao apartheid e para a autodeterminação dos povos, entre outros temas. Na década de 1980, Gana co patrocinou o projeto de resolução apresentado pelo Brasil na ONU para a criação da Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul (ZOPACAS). Gana tem sido importante parceiro do Brasil na África Ocidental, o que se reflete na intensificação do diálogo político e do comércio bilateral e no fortalecimento da cooperação técnica.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS