20.5 C
Brasília
sexta-feira, 23 fevereiro, 2024

Iekaterinburgo recebe conferência de universidades dos Brics

Universidade em Iekaterinburgo coordena esforços de parte russa na Rede

Foto:Shutterstock/Legion-Media

8 de abril de 2016 PÁVEL RÍTSAR, GAZETA RUSSA

Representantes de quase 60 instituições de ensino superior de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul estão reunidos, até domingo (9), para definir os próximos passos da Universidade em Rede do Brics. Programas de intercâmbio devem iniciar já em 2017.

Um memorando que institui a Universidade em Rede do Brics será assinado por reitores das universidades (ver abaixo) participantes da primeira conferência da instituição, realizada em Iekaterinburgo, na Rússia, entre 6 e 9 de abril. A rede de universidades é dedicada à criação de programas de mestrado e de doutorado.

“Durante a conferência constitutiva, assinaremos todos os documentos sobre os programas mútuos de graduação e pós-graduação em seis setores prioritários, que são de interesse para os nossos países”, disse o reitor da Universidade Federal dos Urais, Viktor Kokcharov, em coletiva de imprensa antes do evento.

 

As seis áreas pré-definidas pelo grupo são ciência da computação e segurança da informação, energia, estudos do Brics (relações internacionais), economia, ecologia e mudanças climáticas, e recursos hídricos e tratamento da poluição.

Cada universidade participante em determinada área prioritária terá, durante o evento, um membro no respectivo grupo temático.

“Os grupos temáticos vão se reunir e decidir sobre o conteúdo dos programas de mestrado e de PhD, e devem iniciar os intercâmbios acadêmicos e de estudantes em 2017”, diz o professor Maksim Khomiakov, vice-presidente para assuntos internacionais e diretor do centro de estudos do Brics na Universidade Federal dos Urais, que está conduzindo o projeto do lado russo.

Inicialmente, está prevista a oferta de 10 bolsas de mestrado e 10 de doutorado nas seis áreas de produção acadêmica já selecionadas.

“Serão bolsas adicionais, porque esses programas já existem”, disse o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, no final de novembro, durante a reunião de instalação do fórum de acompanhamento do valor do piso salarial dos professores da Educação Básica.

A expectativa, porém, é que, futuramente, milhares de estudantes dos cinco países-membros do Brics tenham a oportunidade de realizar gratuitamente intercâmbio entre as instituições inseridas na Universidade em Rede do grupo.

Segundo Khomiakov, a iniciativa de promoção das universidades do Brics em conferências internacionais, como a que ocorre em Iekaterinburgo, pode “aumentar a visibilidade e contribuir para a reputação acadêmica” dessas instituições.

A Universidade em Rede do Brics é um projeto conjunto destinado a criar um espaço educacional único, desenvolver o intercâmbio acadêmico, bem como preparar profissionais altamente qualificados para atuar na economia dos países-membros nos setores de energia, ciência da computação e ecologia, entre outros.

Os acordos sobre a criação da rede foram alcançados entre os ministros da Educação dos cinco Estados do Brics em 5 de novembro de 2013, em Paris, na sede da Unesco.

A ideia é criar um sistema, no âmbito do Brics, nos mesmos moldes do projeto já existentes entre os países-membros da Organização para Cooperação de Xangai.

A localização da futura sede da Universidade em Rede ainda não foi definida.

Brasil na Rede

No total, doze programas de pós-graduação de nove universidades brasileiras foram selecionados para fazer parte da Universidade em Rede do Brics, conforme edital publicado no Diário Oficial da União em 1º de março. São eles:

http://gazetarussa.com.br/brics/2016/04/07/iekaterinburgo-recebe-conferencia-de-universidades-dos-brics_576893

ÚLTIMAS NOTÍCIAS