22.5 C
Brasília
terça-feira, 18 junho, 2024

Hondurenhos exigem o fim do bloqueio dos Estados Unidos contra Cuba

Tegucigalpa, 14 de agosto (Prensa Latina) Durante três dias, movimentos de solidariedade da América Latina e do Caribe levantaram suas vozes e exigiram aqui o fim do bloqueio dos Estados Unidos contra Cuba, uma norma que hoje impede o desenvolvimento da ilha.

A reivindicação fez parte do III Encontro Centro-Americano de Solidariedade com a nação caribenha, que foi descrito como exitoso e mostrou a combatividade dos mais de 100 delegados a favor de Cuba e contra a medida unilateral de Washington.

Os participantes do evento consultados pela Prensa Latina disseram que a reunião foi uma oportunidade para acordar ações e rever o que mais podem fazer em defesa da maior das Antilhas.

Nesse sentido, a declaração final aprovada destaca, entre outras ações, a disposição de apoiar a nação caribenha na luta contra o cerco econômico, comercial e financeiro que dura mais de seis décadas.

Exigiram a exclusão de Cuba da lista de países que patrocinam o terrorismo, uma estratégia que, junto com o bloqueio, busca sufocar a economia e o desenvolvimento da sociedade cubana violando as normas do direito internacional.

Os representantes da Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Nicarágua, Panamá, Venezuela, Porto Rico, México e do país anfitrião exigiram a devolução do território ocupado ilegalmente pela base militar dos Estados Unidos em Guantánamo, contra a vontade do povo e do governo cubano .

Além disso, revalidaram o compromisso de promover a unidade e integração dos movimentos de solidariedade e rejeitaram tudo o que divide para contribuir para a construção da Pátria Grande e consolidar uma frente anti-imperialista na região.

O dia de encerramento aconteceu na Praça Cuba da capital hondurenha, onde também participaram membros do Governo da Presidente Xiomara Castro.

A designada presidencial (vice-presidente), Doris Gutiérrez, destacou a história de solidariedade de Cuba e Fidel Castro, que tanto contribui para os pobres do mundo.

Por sua vez, o vice-chanceler e secretário internacional do governista Libre, Gerardo Torres, pediu a exclusão de Cuba da injusta lista de países que patrocinam o terrorismo, na qual nunca deveria estar.

O embaixador de Cuba aqui, Juan Loforte, agradeceu ao Executivo da primeira mulher presidente de Honduras, aos grupos de solidariedade e aos sindicatos de professores pelo apoio ao sucesso do fórum.

Como parte do evento, a vice-presidente do Instituto Cubano de Amizade com os Povos, Noemí Rabaza, entregou ao hondurenho Oscar Rolando Ramos a medalha de Amizade outorgada pelo Conselho de Estado.

O encontro encerrou com o III Festival da Juventude Latino-Americana e Caribenha em homenagem ao líder histórico da Revolução Cubana, Fidel Castro, no 97º aniversário de seu nascimento.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS