24.5 C
Brasília
quinta-feira, 22 fevereiro, 2024

HAMAS destrói 100 veículos blindados israelenses nos últimos 5 dias

Veículos blindados do exército israelense na Faixa de Gaza, 1º de novembro de 2023. (Foto: Reuters)

HispanTV – As Brigadas Ezzedin Al-Qassam, o ramo militar do HAMAS, destruíram 100 veículos blindados do exército israelita nos últimos cinco dias da guerra em Gaza.

Abu Obaida, porta-voz do braço militar do Movimento de Resistência Islâmica Palestina (HAMAS), apresentou na sexta-feira um relatório sobre os recentes avanços no campo de batalha na Faixa de Gaza, no qual destacou que os combatentes palestinos conseguiram destruir pelo menos uma centena de veículos blindados do exército israelense e surpreendendo soldados sionistas em diversas emboscadas nos últimos cinco dias.

70 dias se passaram desde o início da Operação Tempestade Al-Aqsa e nossa nação continua a travar esta guerra sem precedentes. Nossos combatentes lutam contra uma potência que está armada até os dentes e tem à sua disposição munições e dispositivos aéreos mortíferos”, destacou.

A este respeito, Abu Obeida disse que o governo dos Estados Unidos fornece apoio aéreo ao regime israelense como se estivesse em uma guerra contra uma superpotência e destacou que Israel utiliza mercenários nas suas operações; No entanto, ele afirmou que os combatentes da Resistência mantêm a mão no gatilho e esperam pelo inimigo em todos os lugares.

O HAMAS declarou que o primeiro-ministro israelita e o seu exército não têm outra escolha senão declarar a derrota na sitiada Faixa de Gaza.

Nosso confronto com as forças inimigas mostrou quão fraco e covarde é o exército [israelense]. O que está a ser eliminado hoje é o exército inimigo, não as Brigadas Ezzedin Al-Qassam. Os números que o inimigo anuncia oficialmente sobre o número de seus mortos não são reais”, observou.

O regime israelense lançou uma invasão aérea e terrestre contra a população da Faixa de Gaza em 7 de outubro, depois de sofrer uma derrota sem precedentes na operação palestina do HAMAS chamada Tempestade Al-Aqsa, na qual os combatentes palestinos se infiltraram profundamente na área ocupada. territórios, resultando em quase 1.200 mortes e 240 cativos, alguns dos quais já foram libertados no âmbito de um acordo de troca de prisioneiros entre Israel e HAMAS após uma trégua temporária.

O atual massacre contra o povo palestiniano de Gaza deixou quase 19 mil mortos até à data, na sua maioria mulheres e crianças, e mais de 50 mil feridos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS