18.5 C
Brasília
quinta-feira, 30 maio, 2024

Gaza: Ocupação comete 7 massacres e volta a atacar pessoas deslocadas que retornam ao norte de Gaza

Foto: Reuters

Heba Ayyad*

Hoje, 15, segunda-feira, o exército israelita voltou a atacar palestinos que tentavam regressar à Cidade de Gaza e às regiões do norte, e cometeu 7 novos massacres em 24 horas, enquanto continuavam os confrontos entre a resistência e as forças de ocupação no meio da Faixa de Gaza, segundo testemunhas oculares. Segundo informações, uma criança foi morta por fogo israelense enquanto sua família tentava retornar à cidade de Gaza pela rua Al Rashid.

Uma mulher palestina foi martirizada e 23 ficaram feridas ontem, depois de a ocupação ter aberto fogo contra pessoas deslocadas nessa rua que tentavam regressar às suas casas em Gaza e no norte da Faixa de Gaza.

A artilharia e as canhoneiras do exército de ocupação atacaram a rua Al-Rashid Al-Sahili para evitar que as famílias deslocadas tentassem regressar ao norte de Gaza.

Várias outras pessoas deslocadas também foram feridas em vários graus pelo fogo das forças de ocupação depois de terem tentado regressar à Cidade de Gaza através da Ponte Wadi Gaza.

Um grande número de cidadãos esperou durante longas horas na rotunda de Nabulsi, a oeste da Cidade de Gaza, para que os seus familiares atravessassem para o norte e os encontrassem após uma separação de quase 7 meses, mas a decepção os aguardava.

Num comunicado, o Observatório Euro-Mediterrânico condenou o ataque a pessoas que regressavam às suas casas, o que levou à morte e ferimentos de dezenas delas, e afirmou que isso equivalia a crimes de guerra e crimes contra a humanidade.

Novos massacres

Entretanto, o Ministério da Saúde de Gaza anunciou hoje que as forças de ocupação israelitas cometeram 7 massacres, resultando em 68 mártires e 94 feridos em 24 horas.

O Ministério informou que o número de vítimas da agressão israelense subiu para 33.797 mártires e 76.465 feridos desde 7 de outubro passado.

O correspondente da TV WOW Heba Ayyad informou que várias casas foram destruídas como resultado de ataques lançados por aeronaves israelenses em conjunto com confrontos entre a resistência palestina e as forças de ocupação ao norte do campo de Nuseirat, no centro da Faixa de Gaza.

O repórter também informou que duas crianças foram martirizadas e outras ficaram feridas por balas do exército de ocupação ao norte do campo.

Pelo sexto dia consecutivo, o exército de ocupação continuou as suas operações de varredura e busca na área norte do campo de Nuseirat, em meio a bombardeios e ataques de artilharia.

Testemunhas oculares confirmaram a morte de cinco pessoas e os ferimentos de outras em um bombardeio israelense que teve como alvo uma casa da família Al-Arabi, a noroeste do campo de Nuseirat. As equipes de defesa continuam suas tentativas de chegar ao local apesar da gravidade da situação resultante dos contínuos bombardeios israelenses.

Neste contexto, uma testemunha ocular relatou ter ouvido explosões violentas no meio da Faixa de Gaza, como resultado de aviões de guerra israelenses que realizaram ataques simulados e romperam a barreira do som. Ao mesmo tempo, os aviões atacaram uma casa a leste do campo de Maghazi, na região central da Faixa.

Os cidadãos disseram que hoje aeronaves israelenses realizaram ataques nas proximidades da zona industrial da cidade de Beit Hanoun, ao norte.

No sul, testemunhas oculares relataram que um ataque israelense destruiu uma casa nas proximidades do município de Al-Fukhari, ao sul de Khan Yunis.

Testemunhas oculares acrescentaram que civis ficaram feridos em um bombardeio israelense que teve como alvo o bairro de Al-Salam, ao sul de Khan Yunis, observando que alguns deles chegaram ao Hospital Europeu de Gaza.

Por sua vez, o Crescente Vermelho Palestino disse que a ocupação libertou dois de seus tripulantes em Khan Yunis, enquanto outros seis permanecem detidos.

*Heba Ayyad é jornalista, analista de politica internacional, escritora e poeta palestina/brasileira 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS